O impulso

Publicado por 1.2.21

 

Sinopse: Blythe Connor está decidida a ser a mãe perfeita, calorosa e acolhedora que nunca teve. Porém, no começo exaustivo da maternidade, ela descobre que sua filha Violet não se comporta como a maioria das crianças. Ou ela estaria imaginando? Seu marido Fox está certo de que é tudo fruto do cansaço e que essa é apenas uma fase difícil.
Conforme seus medos são ignorados, Blythe começa a duvidar da própria sanidade. Mas quando nasce Sam, o segundo filho do casal, a experiência de Blythe é completamente diferente, e até Violet parece se dar bem com o irmãozinho. Bem no momento em que a vida parecia estar finalmente se ajustando, um grave acidente faz tudo sair dos trilhos, e Blythe é obrigada a confrontar a verdade.
Neste eletrizante romance de estreia, Ashley Audrain escreve com maestria sobre o que os laços de família escondem e os dilemas invisíveis da maternidade, nos convidando a refletir: até onde precisamos ir para questionar aquilo em que acreditamos?

 

Autor(a): Ashley Audrain | Editora: Paralela | Páginas: 328 | Ano: 2021


Será que ser mãe é um dom natural que acompanha todas as mulheres em todas as fases da vida? Um mulher que se questiona em relação ao apego e criação ao filho tem sérios problemas mentais?

Blyte é uma mulher que busca perfeição em todos os campos de vida. Uma esposa dedicada e amorosa, uma mulher encantadora e inteligente, só faltava exercer um papel com excelência, a maternidade. 


"Ela se esforçou muito para ser a mulher que esperavam que fosse.

Uma boa esposa. Uma boa mãe.

Parecia que tudo ia ficar bem."


O que pode ser o sonho para algumas pessoas, para Blythe se mostrou mais próximo de um pesadelo. As incansáveis noites sem dormir e a falta de afeição mútua com a filha Violet, insistem em mostrar à protagonista que há algo de errado. Onde foi parar toda aquela linda e doce fantasia materna?

O passado é algo presente na vida da protagonista e a autora fez questão de explorar o drama que ultrapassou gerações. Os conflitos entre mãe e filha causaram danos e experiências dolorosas, sendo reproduzidos e considerados normais com o passar dos anos, contudo a jovem e doce Blythe tenta evitar estes fantasmas que a assombram, toda dor deve ficar para trás.


"Eu queria que você continuasse feliz. Queria ser qualquer outra pessoa que não a mãe que me deu a luz. "


Violet não é uma criança amorosa, divertida e comunicativa, ao menos não na presença de sua mãe. Diante de seu pai, Fox, demonstra sua doçura, causando dúvidas em relação à sanidade de Blythe. 


"Violet tinha uma mente brilhante, fascinante, e às vezes eu desejava ter acesso a ela. Ainda que temesse o que poderia encontrar."


O relacionamento pai e filha beira a idolatria cega, Fox não consegue enxergar um único defeito em sua primogênita, nem mesmo após sua adorável, casada e traumatizada esposa afirmar ter medo da menina e de suas ações.

Preciso dizer que esta história se desenvolve de forma envolvente, porém um pouco tensa. Estou falando de uma trama que traz uma boa dose de sofrimento, insegurança e perda. Sim, há uma grande perda que movimenta a narrativa, comovendo o leitor diante dos desafios enfrentados por Blythe.

Enquanto escrevo este texto volto a sentir um aperto no coração, o mesmo que experimentei enquanto me via grudada às páginas. Talvez este não seja um livro arrebatador ou surpreendente, principalmente para quem costuma ler obras onde existam crianças não tão perfeitas e doce, mas ainda assim é impossível negar o impacto que tal história causa do leitor.

Por mais livros que tenha lido, por mais histórias tristes, pesadas ou que beiram a realidade, ainda me deixo impressionar por tramas onde fica subentendido o lado mais sombrio do ser humano. O final deixa algumas coisas um pouco implícitas, deixando nas mãos do leitor a interpretação conclusiva.

Recomendo a leitura, mas preciso deixar clara a atmosfera tensa e incômoda que estas páginas carregam. Se já leu e gostou de "Menina má" e "Precisamos falar sobre Kevin", provavelmente será atraído por este livro.


*Esta resenha foi produzida a partir da leitura da prova do livro não finalizada, logo não posso citar parte gráfica ou de revisão.



0 comentários

Comentários
0 Comentários