Por Que Não Podemos Esperar?

Publicado por 23.11.20

 


Sinopse: Em 1963, no Alabama, talvez o estado com maior segregação racial nos Estados Unidos, uma campanha lançada por Martin Luther King demonstrou ao mundo o poder da ação não-violenta. Neste livro, lançado em 1964, o vencedor do Prêmio Nobel da Paz narra esses eventos, traçando a história da luta pelos Direitos Civis nos últimos três séculos mas olhando para o futuro, avaliando o trabalho que precisava ser feito para a igualdade de direitos e oportunidades aos negros e a seus descendentes. Trata-se de uma análise eloquente dos fatos e pressões que impulsionaram o movimento dos Direitos Civis até as marchas públicas que tomaram as ruas naquela época e inspiram as de nosso tempo.
Autor(a): Martin Luther King | Editora: Faro Editorial| Páginas: 174| Ano: 2020

Martin Luther King é uma grande imagem para as pessoas que lutam pelos direitos igualitários, quando se trata de raça. Muitos o utilizam de referência e utilizam suas falas, seus discursos e não é por acaso que uma de suas frases é bem famosa e utilizada: ‘I have a dream’.

Nesse livro, podemos acompanhar cada passo dado para os mesmos direitos que ainda estamos lutando nos tempos atuais, claro que não podemos equiparar os tratamentos atuais com os antigos. Mesmo assim, precisamos lutar e fazer com que nossas vozes clamando às autoridades para que nos deem os mesmos direitos e privilégios, que sejamos, pelo menos, tratados, minimamente, como um cidadão.

“Os negros são humanos, não super-humanos. Como todas as pessoas, eles têm personalidades diferentes, interesses financeiros diversos e aspirações variadas. Há negros que nunca irão lutar pela liberdade. Há negros que buscarão lucrara sozinhos com a luta. Ha até alguns negros que irão cooperar com os seus opressores. Esses fatos não devem afligir ninguém.”

Houveram momentos que tirei de muito aprendizado e não só pessoal, mas aprendizado de discurso, pois se tem uma característica positiva de Martin, além de admirável, são suas melhores palavras na construção de um discurso. O trecho acima, consegui aprender algumas questões, posso dividir uma delas com vocês.

Quando King fala que possuímos personalidades diferentes, não quer dizer que somos gado. Mas você pode estra se perguntando o porquê de eu estar falando isso, porém o que mais acontece atualmente são as pessoas acharem que todos os negros pensam, agem e comem da mesma maneira, sendo que cada um possui sua personalidade e característica própria e, o mais importante, a própria construção de senso crítico! Ou seja, poderia ficar falando de milhares de ensinamentos a mais que esse livro me proporcionou, foi uma leitura incrível, ainda pretendo relê-lo para um estudo melhor, fazer anotações etc.

O que me entristeceu na hora da leitura foi a questão da tradução, não to dizendo que ela é ruim, nada disso viu, Sarah Pereira? Sei que você se empenhou tanto e fez um belíssimo trabalho, está impecável, mas queria que construíssem uma tradução mais acessível, que contemplasse mais pessoas que necessitam da leitura desse livro, pois a linguagem dele, pra muitos, pode ser mais rebuscada, ou, como dizem, ‘acadêmica’.

Por que não podemos esperar é um livro que deve ser lido por muitos, para que ensinamentos como os de Martin Luther King sejam repassados e que seus discursos, feitos em 1953 comecem a surtir algum efeito neste século XXI, pois são palavras atuais e necessárias.

“Um movimento social que só move as pessoas é apenas uma revolta. Um movimento que muda tanto as pessoas como as instituições é uma revolução.”


0 comentários

Comentários
0 Comentários