Na Hora da Virada

Publicado por 9.9.20


Sinopse: Bri é uma jovem de dezesseis anos que sonha se tornar uma das maiores rappers de todos os tempos. Ou, pelo menos, ganhar sua primeira batalha. Filha de uma lenda do hip-hop underground que teve o sucesso interrompido pela morte prematura, Bri carrega o peso dessa herança.

Autor(a): Angie Thomas | Editora: Galera Record| Páginas: 378 | Ano: 2019

Nunca tive a oportunidade de contar pra vocês, mas fica aí um segredinho: sou o co-fundador da fanbase de Angie Thomas aqui no Brasil. Pra quem nos acompanha nos stories do instagram, isso não é novidade alguma. Pois bem, dessa vez falarei da história de Bri, uma aspirante a rapper.

Briana reside no Garden, um bairro periférico, com sua mãe e seu irmão. Possuindo apenas duas escolas no local, ela estuda onde tem uma concentração extrema de adolescentes brancos, o que já se torna um pequeno problema na mente da jovem, pelas questões de pertencimento e, os adolescentes que estudam no mesmo local e possuem a mesma etnia, são aqueles que residem no mesmo bairro.

A partir de um subsídio, tais jovens conseguem ingressar nesse colégio, onde o ensino é visto como melhor e exemplar, porém nem todos recebem os mesmos tratamentos que outros. Negros e latinos sofrem casos isolados de desconfianças raciais. Um dia, Bri é abordada por um dos seguranças na porta do colégio, que a joga no chão como se ela fosse um perigo, sendo a jovem taxada de marginal. A mesma se revolta e decide exteriorizar o que sentiu mediante comportamento da pessoa a qual deveria oferecê-la segurança.

“Ninguém quer dizer, mas se você tem a pele preta ou marrom, é mais provável que vá parar no radar deles, apesar de o próprio Long ser negro”

Escreve, então, uma letra que contra ataca, não só a atitude do inspetor, mas atitude de muitos policiais ou profissionais de segurança, que sempre agem da mesma maneira e sempre com as mesmas pessoas, pretas, que são marginalizadas a todo momento. Como uma grande sonhadora, Briana anseia em fazer sucesso e ter seu nome, positivamente, na boca do povo, quer realizar seu sonho de ser como o pai, porém ter seu sucesso próprio e não só por ser filha de um grande rapper. Depois de uma decepção tentando se lançar para o mundo, ela decide postar a música numa plataforma, música essa que se intitula ‘Na Hora da Virada’.

Angie faz uma construção incrível, desde os detalhes do local, até os personagens, com quem aprendo tantas coisas e me enxergo bastante, pelo simples fato dos personagens passarem pelas mesmas situações e terem as mesmas características que eu. Inclusive, neste livro tem um personagem que só faltou se chamar Fabio, de tanto que me enxerguei nele.

Esse trabalho que Thomas faz é lindo, pelo simples motivo de que também podemos protagonizar um livro, podemos representar coisas, também temos sonhos, problemas e podemos ter um felizes para sempre. Angie vem trazendo o que muitos jovens pretos sentiam falta, representatividade em histórias reais, que nos levam e nos deixam bem perto do nosso cotidiano. Somos sempre levados a outros lugares nas obras de Angie Thomas, nunca ficamos preso apenas à ideia inicial do livro somente. Sua obra possui bastante desdobramentos, fazendo com que discutamos sobre diversos assuntos que precisamos abordar.

Na Hora da Virada é leitura obrigatória a todos. Inclusive para você que está querendo saber como agir como antirracista, lendo e aprendendo com esse livro algumas atitudes que nos machucam, pois somos tipificados de diversas maneiras.

0 comentários

Comentários
0 Comentários