Sem saída

Publicado por 22.6.20


Sinopse: A universitária Darby Thorne já tinha problemas demais. Sem sinal de celular e com pouca bateria, ela precisava dirigir em meio a uma nevasca para visitar sua mãe que fora internada às pressas e poderia morrer, mas o mau tempo a obriga a fazer uma parada. Num estacionamento no meio do nada, Darby se depara com uma criança presa e amordaçada dentro de uma van. Aterrorizada, ela precisa manter a calma. Mais que descobrir quem é o proprietário do veículo, é fundamental escolher quem, dos quatro desconhecidos no local, pode ser um aliado para ajudar no resgate. O desafio são as consequências: isolados pela neve, qualquer deslize pode ser fatal. É preciso resistir até o amanhecer, mas o perigo aumenta e cada minuto pode ser o último.
Autor(a): Taylor Adams | Editora: Faro Editorial | Páginas: 272 | Ano: 2019

Darby e sua mãe possuem um relacionamento um tanto quanto conturbado, alguns atritos a afastaram por diversas vezes, algo que podemos considerar normal, afinal famílias perfeitas costumam ficar apenas nos comerciais de TV. Em meio aos seus problemas, Darby descobre algo que a abala e lhe faz correr ao encontro de sua mãe, ao menos seu objetivo é este, ir encontrá-la ainda com vida no hospital.

Em meio a uma nevasca a protagonista se vê presa, sem sinal de telefone e sem condições de ir adiante com seu carro. Muito frio, pouca visibilidade e o medo transportam Darby para um refúgio, um local no meio do caminho onde é possível se esquentar e aguardar em segurança.

Outras pessoas estão passando por dificuldades semelhantes à de Darby em relação à tempestade que domina o lado de fora do refúgio, porém uma boa conversa não seria suficiente para resolver seus problemas, ela teria que encontrar meios de fazer contato com sua mãe. 

Ao caminhar em busca de sinal para o telefone a personagem nota algo estranho em um dos carros estacionados próximo ao local onde se encontra. Ao que tudo indica há uma pequena menina presa, sem identificação e sem qualquer sinal de um responsável por perto. De quem seria aquele carro? Algum dos seus companheiros de refúgio poderia ser um criminoso?

Até este momento confesso que senti a narrativa um pouco lenta, dando rodeios e explorando alguns detalhes que não me pareciam tão relevantes, contudo devo admitir que a inserção da criança misteriosa deu um gás à história.

Darby precisa escolher bem o próximo passo, pois não conhece as pessoas que estão no refúgio com ela, tão pouco faz ideia de onde teria vindo aquela menina assustada e presa, mas algo era certo, ela não poderia seguir seu caminho deixando a criança para trás. Há algo muito ruim acontecendo e ela não poderá ignorar isso.

Os capítulos são divididos em forma de hora, assim fica fácil compreender o tempo transcorrido entre os principais fatos, mas não vou mentir, a partir de um determinado momento eu já nem reparava mais no horário, só queria devorar as páginas e conseguir acompanhar o desfecho desta trama.

A protagonista, que inicialmente eu via como uma estudante qualquer, ganhou uma nova identidade ao desafiar seus medos e seguir seus instintos na busca pela verdade. Sua determinação em desvendar o ocorrido e garantir que aquela criança tivesse o menor dando possível diante da situação me fez vê-la como uma mulher forte e intensa.

Esta história é daquelas que a todo instante insere algo novo para movimentar a trama, desde pequenos obstáculos até grandes descobertas. Sobre o final obviamente não posso falar muito, mas ele foi tão intenso e surpreendente quanto o resto da trama.


0 comentários

Comentários
0 Comentários