Rosas de maio

Publicado por 18.11.19


Sinopse: Quatro meses se passaram após a descoberta do Jardim e de suas "borboletas": jovens mulheres, sequestradas e mantidas em cativeiro por um homem brutal e obsessivo, conhecido apenas como Jardineiro. O inverno está chegando ao fim, e as Borboletas esperam ansiosamente por dias mais quentes e tranquilos.Para os agentes Brandon Eddison, Victor Hanoverian e Mercedes Ramirez, no entanto, a calma não parece valer: em outra parte dos Estados Unidos, mais uma jovem surge brutalmente assassinada. Os indícios apontam para a ação de mais um serial-killer psicopata, capaz não apenas de matar a sangue frio, mas também de elaborar a cena a ser descoberta: a jovem é descoberta no altar de uma velha igreja, com a garganta cortada e o corpo rodeado de flores.
Este livro faz parte da Trilogia O colecionador*

Não contém spoilers dos livros anteriores.

Autor(a): Dot Hutchison | Editora: Planeta | Páginas: 300 | Ano: 2019

Rosas de maio traz ao leitor mais uma trama envolvendo um crime a ser desvendado. Há um serial killer solto e que há anos vem vitimando jovens meninas nas mais diversas localidades. Não se sabe qual o seu padrão, tão pouco a investigação tem se mostrado capaz de traçar semelhanças entre as vítimas.


"Ele vai matar de novo, porque, enquanto não for preso, não há motivo para parar. Como se impede um homem de matar?"

O leitor tem a possibilidade de identificar as motivações do assassino logo de cara, pois a narrativa traz trechos em que é possível acompanhar o momento em que este procura e ataca suas vítimas, contudo não espere desvendar sua identidade imediatamente, há um pouco mais de trabalho a se desenvolver até chegar nesta revelação tão importante.

Além de acompanhar o serial killer de perto, também há a aproximação da rotina da irmã de uma das vítimas, que por sinal criou laços com a equipe de investigação do caso e faz com que os agentes pareçam mais humanos e comuns do que costumam ser, sem aquela postura dura e inabalável.


"Como você se recupera quando os pedaços perdidos são os únicos motivos para alguém olhar para você?"

Em alguns momentos admito que considerei a narrativa um pouco lenta e repetitiva, principalmente em trechos onde se observa o cotidiano da protagonista, mas isso não prejudica o desenvolvimento da trama nem mesmo me causou algum tipo de desinteresse.

Sobre o final posso apenas dizer que me pareceu satisfatório e com um bom fechamento para os acontecimentos. O ritmo não se perdeu ao se aproximar da conclusão, tão pouco se acelerou para encerrar a história, então acredito que tenha tudo ocorrido como eu esperava. Alguns surpresas aqui, outros momentos previsíveis ali, mas tudo numa dose certa.

As duas histórias publicadas no Brasil e que compõem a trilogia O colecionador, são envolventes e trazem ao leitor uma necessidade de compreender cada detalhe do que vem sendo apresentado, contudo não há uma obrigatoriedade de ler as publicações na sequência. Claro, se você busca uma experiência completa, com conexões interessantes e uma evolução dos personagens da equipe investigativa, sugiro que siga a ordem, primeiro O jardim das borboletas e depois Rosas de maio.





*Resenhas anteriores da trilogia O colecionador: 


4 comentários

Comentários
4 Comentários
  1. quero ler mais esse genero de thriller com serial killer, mt bacana sua indicação desse livro

    ResponderExcluir
  2. Ahh fiquei super curiosa! Vou ter que dar um jeitinho de ler! Amei a resenha!

    www.jesialves.com

    ResponderExcluir
  3. Livros com essa temática tá ficando em alta né? Mas parece interessante e amei a foto dos livros, muito lindo, parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Gosto de histórias de cativeiro e serial killer, sou meio sádica kk me chamou atenção a sinopse, já quero ler!

    ResponderExcluir