Misery

Publicado por 18.5.19



Sinopse: Paul Sheldon descobriu três coisas quase simultaneamente, uns dez dias após emergir da nuvem escura. A primeira foi que Annie Wilkes tinha bastante analgésico. A segunda, que ela era viciada em analgésicos. A terceira foi que Annie Wilkes era perigosamente louca. Paul Sheldon é um famoso escritor reconhecido pela série de best-sellers protagonizados por Misery Chastain. No dia em que termina de escrever um novo manuscrito, decide sair para comemorar, apesar da forte nevasca. Após derrapar e sofrer um grave acidente de carro, Paul é resgatado pela enfermeira aposentada Annie Wilkes, que surge em seu caminho.A simpática senhora é também uma leitora voraz que se autointitula a fã número um do autor. No entanto, o desfecho do último livro com a personagem Misery desperta na enfermeira seu lado mais sádico e psicótico. Profundamente abalada, Annie o isola em um quarto e inicia uma série de torturas e ameaças, que só chegará ao fim quando ele reescrever a narrativa com o final que ela considera apropriado. Ferido e debilitado, Paul Sheldon terá que usar toda a criatividade para salvar a própria vida e, talvez, escapar deste pesadelo.
Autor(a): Stephen King | Editora: Suma | Páginas: 326 | Ano: 2014

Quem me conhece sabe que nem sempre fui apaixonada pelas obras de Stephen King, já tive algumas decepções, mas que após um período de resistência acabaram sendo superadas. Gostaria de ter lido este livro antes, provavelmente teria me poupado de anos de ranço com o autor.



Nesta obra somos apresentados a Paul, um autor famoso e que ganhou notoriedade após escrever seu romance de sucesso, Misery, contudo após alguns anos escrevendo o mesmo estilo acabou se cansando e dando um fim à protagonista que havia conquistado milhares de fãs.

O que era para ser um momento de liberdade acabou se transformando em sua prisão, algo que jamais passaria em seus piores pesadelos. Após um período de confusão e dor Paul percebeu que estava em um lugar estranho, com uma mulher que falava coisas que ele não conseguia compreender devido ao efeito alucinante da medicação administrada.

Annie é a fã número um de Paul, diz ter salvo sua vida na estrada e agora o cuida com muito carinho, pois não poderia deixar que seu grande ídolo tivesse um triste fim.

Poderia ser uma história de amor e redenção, mas estamos falando de Stephen King, autor mundialmente conhecido por suas histórias fortes, tensas e repletas de cenas capazes de arrepiar até o leitor mais corajoso.

A grande fã não se mostra muito contente após descobrir o fim de sua protagonista preferida. Ela poderia escrever uma carta reclamando, mas não teria tanto efeito quanto fazer Paul compartilhar da mesma dor. Isso mesmo que você está pensando, Annie não poupará esforços para provocar sofrimento ao criador de Misery, mesmo que em sua louca imaginação ela apenas esteja lhe dando o que merece para que se torne um bom menino e escreva um novo e lindo livro.

"- Então fique aí sentado - disse ela, com os lábios repuxados no ricto sorridente - e lembre-se de quem é que manda, e em tudo o que eu posso fazer para machucar você se você se comportar mal ou tentar me enganar."

King criou uma personagem cruel e ao mesmo tempo doce, esperta e ao mesmo tempo ingênua. Annie consegue oscilar perfeitamente em suas mais distintas características, enquanto isso Paul precisará lidar com cada uma delas, ou seu destino será o pior do que o de Misery. 

A fã de Paul tem uma história terrível, uma fama assustadora e um temperamento difícil. Conforme o leitor vai conhecendo estes detalhes de Annie passa a compartilhar da tensão que o protagonista vive, ansiando pela página seguinte na esperança de que exista alguma salvação.

"- Eu posso não saber o que vai acontecer com Misery, mas eu sei o que vai acontecer comigo... e com você. Eu vou escrever FIM, você vai ler, e então você vai escrever FIM, não vai? O nosso fim."

Esta história me envolveu ao ponto de eu acabar almoçando mais rápido que o normal para poder lê-la no intervalo do trabalho. Senti o que Annie sentia ao ler a história de sua doce Misery, eu também esta loucamente interessada pelo desfecho da trama. E ainda bem que o final foi de acordo com minhas expectativas, caso contrário eu não me responsabilizaria pelos meus atos. Calma, esta última parte foi brincadeirinha (risos).

Alguns leitores poderão se sentir mais angustiados ou com mais repulsa que outros, pois Annie no auge de sua insanidade será capaz de promover as mais diferentes formas de sofrimento ao seu autor preferido e isso será ricamente exposto ao estilo King.

Para quem não sabe, na década de 90 foi lançado um filme baseado nesta obra. Eu ainda não assisti, mas pretendo fazer em breve. Se você já assistiu, comente se vale a pena!



7 comentários

Comentários
7 Comentários
  1. Aaaahhhhh, que felicidade. Um post que fala minha língua!!! hauhauhauhau
    Eu sou a loka do King. Sou fã do cara desde o começo dos anos 2000. Estou quase acabando de ler toda a obra dele. Só não acabei porque eu fico relendo livros com meu grupo de leitura coletiva de King. MORRO de medo de não sobrar mais nenhum inédito. Ainda bem que o homem não para.
    Não o acho perfeito. Tenho muitas reclamações, frustrações e decepções. Mas, acredito que isso faz parte, e fico feliz que você tenha superado isso aí que te deixou longe dele por um tempo.
    Sobre Misery: QUE LIVRO!! Eu me lembro que quando o li, precisei parar a leitura, intercalar com um livro de contos do Rubem Fonseca, e só depois voltei. As obras do King que mais me desestruturam são aquelas que mostram do que o ser humano é capaz. MORRO DE MEDO!!!
    Annie é psicótica. E Paul come o pão que o diabo amassou, assou, limpou o chão come ele e ainda deu um balde de água suja pra complementar a refeição. hahahaha
    Deixa eu ir. Desculpa a falação...
    Beijão

    Carol, do Coisas de Mineira

    ResponderExcluir
  2. Ah mais um do King que quero ler! ♥
    Assim como você disse também tenho altos e baixos com o autor mas acabo sempre voltando pra ler algo dele. Este ainda não li, mas já coloquei na listinha! E engraçado como ele usa muitos personagens escritores, acho que este é o quarto livro que aparece um como protagonista.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Eu nunca li nada do autor, mas reconheço a fama que tem e o quanto pelo jeito deve ser bom suas obras para quem é fã do gênero. Sempre ouvi falar desse livro, justamente por causa do filme, mas ainda não fui despertada com a vontade de lê-lo. Quem sabe um dia? Adorei a sua resenha!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Ale, acho que é meio normal alguma vez se decepcionar com um autor como ele, porque le publica tantas coisas ne? Hahahha Em todo caso, é surreal o poder de um livro, almoçar correndo pra ler o quanto antes. Não sou muito fã de King mas sua resenha me deixou curiosa.

    ResponderExcluir
  5. Não sou apaixonada pelas obras de Stephen King, lembro de ter visto um filme baseado no livro é de doer na alma, não curti ver tanto sofrimento. As obras do SK me assustam demais. Risos.
    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?

    King é realmente um Mestre. Que bom que ele lhe conquistou.

    Eu não assisti ao filme, também não li o livro, e apesar de ficar curiosa, não leio mais nada desse homem depois de Ir, a coisa, não tenho psicológico para.

    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Olá, este foi o primeiro e único livro que li do autor, infelizmente! É uma realidade que preciso mudar em breve, está obra é incrível em diversos aspectos, King é mestre em mexer com nosso psicológico e Misery sem dúvida representa bem essa característica do autor, adorei a resenha!

    ResponderExcluir