Mudbound: lágrimas sobre o Mississipi

Publicado por 9.4.18

Sinopse: Um amor proibido, uma traição terrível, uma agressão selvagem. Um romance de força impressionante, que nos faz mergulhar nas contradições do Mississippi pós-Segunda Guerra Mundial.Ao descobrir que o marido, Henry, acaba de comprar uma fazenda de algodão no Sul dos Estados Unidos, Laura McAllan, uma típica mulher da cidade, compreende que nunca mais será feliz. Apesar disso, ela se esforça para criar as filhas num lugar inóspito, sob os olhos vigilantes e cruéis de seu sogro. Enquanto os McAllans lutam para fazer prosperar uma terra infértil, dois bravos e condecorados soldados retornam do front e alteram para sempre a dinâmica não só da fazenda, mas da própria cidade. Jamie, o jovem e sedutor irmão de Henry, faz Laura de repente renascer para a vida, enquanto Ronsel, filho dos arrendatários negros que trabalham para Henry, demonstra uma altivez que não será aceita facilmente pelos brancos da região.
Autor(a): Hillary Jordan | Editora: Arqueiro | Página: 272 | Ano de lançamento: 2018
Compre aqui: Amazon - Saraiva

Nesta história o leitor conhecerá duas famílias diferentes e ao mesmo tempo muito parecidas. Em ambas é possível reconhecer o respeito e carinho entre si, o desejo por um futuro próspero e a necessidade em se adaptar às mudanças. Mas há algo que as torna completamente diferente aos olhos da sociedade, a cor de sua pele.
Desprezo: era isso que aquele pessoal sentia por nós. E fazia questão de anunciar.

De um lado a família dos McAllan precisará deixar o pouco de conforto que possui para que possam ter sua própria fazenda. Vivendo agora em uma casa pequena, sem luz elétrica ou água encanada, distante da cidade ou de qualquer contato com as belas lojas, Laura, a mãe desta família, terá que se adaptar e conduzir os cuidados da casa da melhor forma possível, mesmo que para isso precise aguentar a acidez de seu sogro que insiste em querer lhe dar ordens e não mede suas palavras racistas proferidas aos que os rodeiam.

De outro a família Jackson que já está acostumada com os baixos recursos e com os olhares de desprezo, tentará seguir sua vida normalmente. Sempre de cabeça baixa, aceitando qualquer tipo de ofensa e acreditando que o lugar que ocupam na sociedade é o de servidão.


Na Alemanha, eu era um libertador, um herói. No Mississipi, era apenas um preto empurrando um arado. E, quanto mais me demorava ali, mais me tornava somente isso.

Pappy McAllan é um senhor grosseiro, preconceituoso e que se acha sábio. Suas constantes investidas contra as pessoas negras se tornam absurdas e chocam o leitor, já que em nenhum momento ele demonstra ter um pingo de arrependimento ou dúvida sobre suas atitudes. A forma como ele trata os membros da família Jackson é capaz de abalar a confiança do leitor na humanidade.

O que já parecia ruim passa a se tornar pior quando dois soldados voltam da guerra e se tornam amigos. Mas o que poderia ter de tão estranho nisso? Simples, um deles era filho de Pappy e o outro era Ronsel Jackson, um negro que colocou sua vida em risco para salvar o país, mas que ao retornar à sua cidade é tratado com desprezo.


Pouco importava que tivéssemos atendido ao chamado para lutar a guerra deles: para os brancos, ainda éramos apenas crioulos.  E os soldados negros que haviam morrido, apenas crioulos mortos.

Através de capítulos curtos, intercalando a narrativa ágil e envolvente dos personagens, é possível compartilhar dos sentimentos dos mesmos, assim como se envolver pela trama ao ponto de não perceber o tempo passar. Todos são interessantes à sua maneira, há o que demonstrará todo o lado amargo e cruel da sociedade e do racismo, mas nem toda essa maldade será capaz de tirar o brilho desta obra.

Este não é o livro mais pesado sobre racismo, tão pouco o mais cruel que já li, mas nem por isso perde seu valor ou deixa de ter uma história intensa e emocionante. Conhecer os fatos pela visão dos personagens envolvidos dá à trama uma realidade muito maior, a proximidade com cada ato, sentimento ou pensamento enriquecem a obra e envolvem o leitor.

Mudbound não é um mero romance, tão pouco um simples drama, mas sim um livro que traz uma reflexão sobre o racismo e como por vezes as pessoas tendem a aceitar o que lhes é imposto. Sem dúvida alguma este livro entrará para a lista de preferidos de 2018!


10 comentários

Comentários
10 Comentários
  1. Boa noite, como vai?
    Confesso que ainda nao conhecia esse livro
    mas gostei bastante da sua dica
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Amei o resuminho,
    bem detalhado e esclarecedor!
    Me deixou com muita vontade de ler a obra completa!

    ResponderExcluir
  3. Acho legal esses temas com fundo histórico, achei bem legal a temática.
    Gostei, muito legal.
    Blog ArroJada Mix

    ResponderExcluir
  4. Eu amei a sinopse gosto de livros assim que falam um pouco sobre esse período tao sofrente dos negros! Essa historia me deixou curiosa e parece sim ser bem emocionante!

    ResponderExcluir
  5. Olá gostei muito de conhecer um pouquinho desse livro através de sua resenha ele me pareceu bem interessante 😘

    ResponderExcluir
  6. Esse enredo é bem comum em filmes e achei ele bastante clichê, mas acho que vale a leitura. Não conhecia e vou add a minha lista de leituras.

    ResponderExcluir
  7. Adoro ler romances. Este pós-Segunda Guerra Mundial parece ser bem interessante, ainda mais que aborda sobre racismo. Não conhecia, mas acredito que deve ser bom. Gostei da sua resenha. bjs Verônica Alves

    ResponderExcluir
  8. Este livro mostra uma parte da história vivida por negros ainda nos dias atuais que é o racismo principalmente nos Estados Unidos onde existe a segregação racial. Muito boa a sua resenha não conhecia o livro mas de fato a história é muito interessante.

    ResponderExcluir
  9. Embora não tenha o costume de ler livros assim, a sinopse é bastante interessante. Achei uma ótima indicação.

    ResponderExcluir
  10. Parece ser legal o livro, achei bom ser um livro que através dos olhos do personagem traz uma reflexão sobre o racismo

    ResponderExcluir