Um menino em um milhão

Publicado por 28.6.17

Sinopse: Quinn Porter é um guitarrista de meia-idade que nunca conseguiu deslanchar na carreira. Enquanto aguardava sua grande chance na música, foi um marido e pai ausente, e jamais conseguiu estabelecer um vínculo afetivo com o filho, uma criança obcecada pelo Livro dos Recordes e algumas peculiares coleções.Quando o menino morre inesperadamente, alguém precisa substituí-lo em sua tarefa de escoteiro: as visitas semanais à astuta Ona Vitkus, uma centenária imigrante lituana. Quinn assume então o compromisso do filho durante os sete sábados seguintes e tenta ajudar Ona a obter o recorde de Motorista Habilitada Mais Velha. Através do convívio com a idosa, ele descobre aos poucos o filho que nunca conheceu, um menino generoso, sempre disposto a escutar e transformar a vida da sua inusitada amiga. Juntos, os dois encontrarão na amizade uma nova razão para viver.
Autor(a): Monica Wood | Editora: Arqueiro | Páginas: 352 | Ano de lançamento: 2017


Quando vejo livros que falem sobre crianças ou animais, já me preparo psicologicamente para a intensidade de sentimentos que a história me proporcionará. Ao contrário do que eu poderia esperar, este não foi um desses livros que me fazem chorar e sofrer com as perdas, mas mesmo assim me tocou de uma forma muito positiva e deixou sua mensagem.


A narrativa foi tão envolvente que eu nem percebi que o MENINO não foi nomeado, sua presença era tão marcante que seu nome não foi necessário para estabelecer sua história, tão pouco se mostrou necessário para que eu pudesse compreender seu legado. Apenas agora, ao escrever este post, que notei que não sabia o seu nome.


Ona é uma senhora sozinha, todos de quem ela era próxima já faleceram. Acostumada com sua vida solitária, sem a presença de amigos ou parentes, a simpática senhora vê seus dias mudarem após a chegada deste menino, que poderia ter sido apenas mais um escoteiro sem graça e preguiçoso que sempre enviam para sua casa.  Viciado em recordes e listas, o jovem escoteiro conquista o coração desta senhora de 104 anos. O que era para ser apenas uma boa ação promovida pelo seu grupo, se transforma em uma amizade pura, sincera e que ultrapassa a barreira da idade.

A relação entre os dois é doce, mas sem causar aqueles momentos chatos repletos de frescura. Ona trata o menino como se fossem amigos de verdade.  O envolvimento destes dois personagens é tão grande, que a senhora centenária decide deixar sua rotina pacata de lado para se aventurar com o Menino e suas listas em busca de um título no livro dos recordes. Me senti tão próxima dos dois que não consigo falar sobre essa amizade sem abrir um largo sorriso. Em meio aos encontros dos dois o leitor vai se aproximando dos personagens, compreendendo seus gostos, manias, vícios e conhecendo suas histórias.
Sabe, ao londo da vida a gente vai conhecendo tanta gente. Os anos vão passando e passando... Mas tem certas fases, certas pessoas que ocupam muito mais espaço que outras. Na memória da gente.
Porém o destino acaba pregando uma peça em Ona, que já estava entusiasmada com sua nova amizade. O jovem não apareceu mais em sua casa, apesar de continuar a sua espera, a senhora passa a duvidar que este tenha sido realmente um bom garoto, até ser surpreendida pela visita do pai do escoteiro que se oferece para cumprir os deveres que seu filho havia com ela, já que este havia morrido de forma inesperada.

A morte do menino de 11 anos não representa o fim, mas um recomeço. Após esta grande e impactante perda, o pai do garoto, que até então era um pouco ausente, se aproxima de Ona apenas para cumprir seu dever, mas acaba se envolvendo mais do que o esperado e passa a conhecer mais sobre seu próprio filho e amadurecendo no decorrer dos capítulos.

Talvez você esteja pensando agora que esta é uma história triste, trágica e dramática ao extremo, mas preciso lhe dizer que Um menino em um milhão passa longe destas características, o que encontrei foi uma lição de vida, de amor e de amizade. 

Eu realmente gostaria de me aprofundar mais nesta resenha, mas tenho receio de que acabe contando mais do que devo e não gostaria de estragar a experiência de leitura. Quero mesmo que você, leitor, se envolva por esta trama tão delicada e que tem tanto a lhe mostrar, então leia de mente e braços abertos.









9 comentários

Comentários
9 Comentários
  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Amo livros que passam uma lição de vida, de amor e de amizade, adoro personagens que são tão marcantes que mesmo não sendo nomeado representa tanto na história a ponto de nos tocar. Gostei da resenha.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, difícil mesmo não imaginar que não seja uma história triste.. mas eu adoro livros e histórias de superação e aprendizado...

    ResponderExcluir
  5. Quando algu´´m menciona que o livro é uma lição de vida já fico interessada, pois esse é um dos tipos de livros que mais gosto de ler!Com certeza vou procurar por aqui ...
    Bjs (•‿•)

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia esse livro, mais me parece ser muito bom!

    Lindo seu blog.

    Bjs

    www.blogfalaaline.com.br

    ResponderExcluir
  7. Muito legal ser uma lição de vida, gosto muito de livros assim.
    Bjs
    www.jaquelinefernandes.com.br

    ResponderExcluir
  8. Não é meu estilo mas desperta a curiosidade

    ResponderExcluir