Bartleby, o escrivão

Publicado por 12.4.17

Sinopse: Uma irônica e literária análise da natureza humana, do mesmo autor de Moby Dick
O personagem título é um jovem amanuense judicial que, cansado do trabalho burocrático, decide adotar o “não” como lema e o “nada” como estilo de vida. Publicada originalmente, de forma anônima, numa revista em 1853, Bartleby, o escrivão é uma daquelas obras que deixa os leitores confusos quando chegam ao final: não há uma resposta e sim questionamentos sobre quem seria esse personagem tão peculiar.
A narrativa de Melville, um dos percursores do absurdo na literatura, é tão curta quanto rica e múltipla; leitura para se perder em interpretações.
Autor(a): Herman Melville | Editora: José Olympio | Compre aqui: Submarino,  Fnac, Americanas

Eu poderia agir como o protagonista desta história e simplesmente não fazer esta resenha, afinal, um dos ensinamentos que Bartleby me passou foi exatamente este, não sou obrigada a nada.

Porém, caso eu siga os passos do retraído personagem, vocês talvez não saibam como foi a experiência de conhecê-lo, tão pouco como me senti ao ler as menos de 100 páginas que esta história reserva ao leitor.

Confesso que estava um pouco eufórica para ler tal obra, pois busquei a opinião de outras pessoas pela internet. O textos eram muito bem desenvolvidos e super positivos. Como me preparar para ler algo que a grande maioria julgou ser muito bom?


Tentei, mas não deu muito certo. 

Bartleby é uma pessoa que eu tentei conhecer, mas não consegui. Apesar de ter tentado compreender suas atitudes retraídas e sua negativa em fazer diversas atividades, não consegui. Me sinto meio deslocada por admitir isso, mas insisti a cada página na esperança de encontrar a revelação de algum grande segredo, mas me senti decepcionada conforme o final de aproximava.

A história é simples, sem grandes floreios, movimentações ou surpresas. Apenas o relato do chefe de Bartleby sobre como foi trabalhar com ele, sentindo pena e ao mesmo tempo raiva, tentando, assim como eu, compreender a mente deste homem. Não há muito que eu possa falar sobre Bartleby, o escrivão, não apenas pelas poucas páginas, mas também pela falta de acontecimentos marcantes.


Talvez você esteja mais preparado para esta história do que eu e consiga aceitar melhor a provável motivação pelo personagem ser diferente. Desculpe, caso você seja uma das pessoas que se encantou pelo livro, mas apesar da leitura ter sido rápida me senti um pouco decepcionada.



13 comentários

Comentários
13 Comentários
  1. Quando pegamos em um livro a nosso desejo é que ele seja bom, mas quando vem a decepção ao ler ficamos sem chão, como vc disse o livro é um livro sem movimentações, surpresas, sem acontecimentos, assim fica difícil a leitura, bjs.

    ResponderExcluir
  2. é triste quando não conseguimos ver todo aquele primor que tooodos vem em uma obra ne? fico assim tb, mas felizmente somos diferentes! oq seria do azul se todos gostassem só de verde ne nao? otimo post amo opinioes sinceras!

    ResponderExcluir
  3. É triste quando lemos tantas coisas positivas sobre uma obra, mas quando vamos ler, não sentimos a mesma emoção. Mas isso faz parte.
    Beijos

    www.baudasresenhas.com.br

    ResponderExcluir
  4. Um livro nos traz muitas emoções. Mas este deixou a desejar, bjs

    ResponderExcluir
  5. Nossa já aconteceu isso comigo também! :-( Mais gosto muito do seu blog ele é lindo e adoro seus conteudos. beijos

    ResponderExcluir
  6. Pelo que li da resenha me parece que o personagem era um rebelde sem cusa rsrs, aí até concordo contigo, é difícil entender quando uma pessoa se rebela sem um motivo aparente "apenas porque resolveu que quer" Confesso que eu também não entendo. Mas também confesso que fiquei curiosa pela leitura ...
    Bjs (•‿•)

    ResponderExcluir
  7. BOa tarde, adorei a personalidade do personagem, simpatizo com ele, quem sabe poderia ter sido um livro melhor?
    Beijos! Blog Sara Menezes

    ResponderExcluir
  8. MENina, e veio o mesmo sentimento tô livro "melancia" kkk tento desde 2007 finalizar a leitura mas não vai

    ResponderExcluir
  9. Achei meio estranho, sei lá não faz meu gênero

    ResponderExcluir
  10. Parece uma obra bem complexa, o tipo de livro que a gente não termina nunca. Sei lá, eu gosto de uma leitura assim de vez em quando, mas eu gosto mais de um gênero de leitura rápida, daquelas que a gente devora. Mas fiquei intrigada com essa resenha, eu tenho Moby Dick aqui na estante, tá na fila para leitura, quem sabe não adquiro essa obra também.


    http://missdiva.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Esse livro não faz muito meu gosto literário, acho que também não iria gostar

    ResponderExcluir
  12. Nossa que complexo né ?!
    O tema é bem interessante, mas eu gosto de livros fictícios sabe ?! Com homens que viram tigres kkkk coisas assim !
    Mas sua resenha foi muito boa

    ResponderExcluir
  13. Que legal! Parece uma história muito interessante. Já vai para minha lista. Adorei. Beijos.
    https://v3rsosdaalma.blogspot.com

    ResponderExcluir