2083 - Vicente Muñoz Puelles

Publicado por 24.8.15


Sinopse: O fim dos livros de papel e tinta está próximo. Restarão poucos exemplares: asantiguidades valiosas ou as relíquias de família. Verdade? Ilusão? Fantasia?Imagine-se agora em 2083 e surpreenda-se: o livro eletrônico também não existe mais. O que restou das histórias e dos autores que admiramos? Desapareceram sem deixar vestígios? Não! Seria impossível destruir os textos que nos emocionaram, que nos fizeram viver melhor e nos tornaram mais humanos. Não se desespere, todos sobreviveram e você poderá conhecê-los bem perto, numa viagem de turismo... no modo amplificador de inteligência. Embarque na bibliotravel.
Autor: Vicente Muñoz Puelles | Editora: Biruta | Compre aqui

Vivemos em um mundo no qual a tecnologia está ganhando cada vez mais espaço, mas você chegou a imaginar como seria o mundo sem livros físicos? Então prepare-se, pois através desta história o leitor verá como as pessoas se esqueceram dos nossos tão amados livros.

David não chegou a conhecer livros impressos, pois quando nasceu as pessoas já tinham perdido o hábito de leitura e o costume de guardar livros. Ao invés de ficarem espantados com ossos dinossauros sendo descobertos, os jovens se espantavam com descobertas de livros antigos enterrados. Você conseguiria não apenas se desfazer dos seus livros, mas também jogá-lo em qualquer lugar? Eu quase enfartei quando percebi como se livraram deles.

As pessoas deixaram a imaginação um pouco de lado e se focaram em assuntos mais técnicos e fiquei assustada com isso. As crianças já não sabiam o que era viajar em uma leitura, não sabiam como um livro pode ser frágil e necessita de cuidado, mas nem tudo estava perdido. O pai de David trabalha em uma empresa que possibilita viagens pelas mais famosas obras literárias e nosso jovem protagonista começa a entender o que uma boa leitura pode trazer ao leitor.
Porém o importante não eram os livros em si, mas sim o que eles transmitiam. Quando alguns eram abertos, parecia que se ouvia a voz de seus autores, mortos talvez há milhares de anos. Às vezes, eles eram tão emocionantes que era preciso parar de ler e levantar a cabeça, para pode pensar o que havia sido lido ou descansar por um momento.
Fiquei feliz ao ver o interesse de David crescer e notar que mesmo que a tecnologia o levasse direto á história, ainda assim ele descobriu um mundo particular que só poderia ser encontrado nas páginas concretas de um livro. Ele poderia virtualmente fazer parte do livro, mas não se deteve a isso e passou a se apaixonar pela leitura, já que notou que os finais dos livros algumas vezes eram melhores sem a interferência dele.

Ao vê-lo se apaixonar por uma personagem e não querer sair da história eu o compreendi, mais que isso, eu queria lhe dizer que muitos amores assim se aproximariam se ele continuasse se mantendo aberto para os livros.
-Você me compreenderia se tivesse lido um livro. Onde fica o leitor de livros quando lê? No livro ou fora dele? Quando se lia um bom livro, era como percorrer os lugares descritos. Mas, ao mesmo tempo, isto tudo acontecia com a pessoa sentada ou na cama.
Por vezes a narrativa foi rasa e rápida, o que não prejudicou a leitura, mas senti que alguns momentos eu queria mais informações, mais aprofundamento. Acredito que a leitura é válida e irá proporcionar uma boa experiência de leitura, desde que você esteja aberto para conhecer um leitor "novato" e que não se importe com possíveis faltas de detalhes.



8 comentários

Comentários
8 Comentários
  1. gostei da resenha.
    beijinhos
    http://falaseriorah.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Amo tecnologia, mas sinceramente acho que passou do normal, você anda na rua e vê a frente as pessoas de cabeça baixa fuçando no celular, é impressionante, fazem isso caminhando ... Não existe mais olho no olho ...
    É uma pena que isso esteja acontecendo ... eu ainda prefiro ler um bom livro, não curto livros virtuais ...

    Deve ser uma ótima leitura do livro de Vicente Muñoz Puelles.

    Bjos Alessandra!
    Minda

    ResponderExcluir
  3. Adorei sua resenha :D
    Amo tecnologia ;)
    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Livros tem que ser no livro , digital eu não consigo ler de jeito nenhum

    Esmalte&cia


    Cadastre-senoEgrana

    ResponderExcluir
  5. Olha eu não sou 100% da era digital e quando se fala em livro ainda prefiro o papel, mas tenho até o reader (livro eletrônico)

    http://www.arianebaldassin.com/

    ResponderExcluir
  6. Sentir o toque do papel nos dedos é maravilhoso, num futuro 1005 digital isso será como ir à lua pra gente hj. Fiquei curiosa pra ler o livro.

    Giovana Stoffel (www.colecionediamantes.blogspot.com.br)

    ResponderExcluir
  7. O livro parece ser muito bom, curiosa para ler!

    www.fikesperta.com

    ResponderExcluir