[RESENHA] Morada das lembranças

Publicado por 3.11.14



Autora: Daniella Bauer
Editora: Biruta
Sinopse: Através dos olhos de uma menina, o leitor acompanha a trajetória de sua família que, em meio à Revolução Russa de 1917, viu‑se obrigada a deixar para trás tudo o que conhecia e a empreender uma audaciosa e perigosa fuga rumo a um destino totalmente desconhecido. Com novas vidas e identidades, vê-se despertada pelas inúmeras perguntas que permanecem sem resposta. Mas, essa é a chave da morada. Não ter as respostas lhe permite seguir em frente e abrir todas as portas.

O que esperar de um livro onde a história principal gira em torno de uma menina que precisou fugir do seu país de origem por causa da Revolução Russa? Acho que nem preciso explicar muito o motivo de eu ter iniciado a leitura com tanta expectativa, o problema é que elas foram parcialmente atendidas.

Uma história forte, contado a partir do ponto de vista de uma menininha, uma criança que precisou ser amarrada embaixo da saia da mãe para conseguir fugir. Impossível não se comover com tal situação, e como meu coração não é de pedra, me senti atingida por aquela realidade tão dura e inesperada. Me peguei em determinados momentos imaginando quantas crianças realmente passaram por aquilo, pior ainda, quantas não tiver a oportunidade de fugir.

Não sabia se quando eu chegasse em casa minha mãe estaria a minha espera, ou morta, e eu sem esperança. Perder a esperança era ficar sem o que eu poderia desejar da vida. Na esperança estavam contidos meus sonhos.

A narrativa é simples e rápida, mas senti falta de diálogos. Claro que é de se imaginar que a se a história é contado por alguém e não "vivida" em tempo "real", os diálogos serão cortados e as lembranças tomarão mais espaço nas páginas, mas ainda assim eu insisto que gosto de diálogos, é um dos meus milhares de defeitos, dou valor para boas conversas.

Apesar de me sentir comovida, não consegui sentir aquele sentimento pesado que normalmente tenho quando leio sobre crianças que sofrem. Encerrei a leitura sem ao menos cogitar a possibilidade de chorar pelo ocorrido. Ainda estou um pouco confusa, pois eu esperava derramar lágrimas com este livro, imaginava que ao virar a última página eu já estaria querendo pegar a criança no colo e levar para casa, mas não consegui criar essa ligação afetiva com os personagens. Talvez o problema seja eu, o momento, ou quem sabe a forma tão simples que a história foi apresentada. 

Não foi uma leitura ruim, tão pouco uma perda de tempo, mas eu ainda penso em reler para ver se consigo chorar! A parte gráfica do livro é impecável e se possível eu mostraria todo ele por aqui, pois todas as páginas possuem um detalhe colorido.



9 comentários

Comentários
9 Comentários
  1. Alê,
    tudo bem??Comigo está tudo na paz.
    Eu prometi para mim mesma que o vou ler um livro de nazismo, depois que eu ler o Diário de Anne Frank. Acho uma ofensa ainda não conhecer a obra.
    Não é sempre que precisamos chorar nos livros. Talvez, você não estava num bom tempo para esse tipo de leitura. Quem sabe na próxima vez, a leitura não te toque da forma que deseja.
    bjinhos, Fernanda D.
    www.novoromance.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Alessandra, tudo bem?
    Nossa, me apaixonei perdidamente por essa capa e diagramação, só por essa beleza toda o livro já entrou na minha lista de leituras futuras!
    Mas entendo sua sensação, me senti assim lendo O Menino dos Fantoches de Varsóvia que também se passa durante a segunda guerra e conta a história de um menino judeu que ajuda outras crianças a escapar dos nazistas, mas não consegui me conectar com o personagem, achei muito cansativa e não me provocou emoção.

    ResponderExcluir
  3. Oi Le!

    Que pena que o livro não te emocionou como vc esperava.
    Sempre que vejo sinopse com crianças fugindo da guerra já acho que vou sofrer também!
    Quem sabe um dia eu leia!

    Beijokas!

    ResponderExcluir
  4. O livro tem tudo para ser emocionante, mas te entendo. Não conhecia o livro, vou pesquisar mais sobre ele
    http://contodeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. A diagramação da editora é um capricho, todos os livros da Biruta e Gaivota são dez! Uma pena que o enredo não foi tão interessante, apesar de bons aspectos, faltou algo não? Mesmo assim tenho curiosidade em ler. :D

    Beijos.

    www.daimaginacaoaescrita.com

    ResponderExcluir
  6. Ola Ale confesso que a sinopse me cham,ou atenção, afinal ver toda essa dificuldade sobre a visão de uma menina ainda mais numa época dessa, estou como você eu esperaria mais carga de emoções , uma pena que não teve pois faria a leitura muito mais intensa. Vou deixar passar por conta disso. beijos lindona

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  7. Já ouvi falar nesse livro mais nunca li rsrs , amei a resenha
    Beijoooos
    http://alemdapenteadeiraa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Não sei porque, mas a sinopse me lembrou A Menina que Roubava Livros, hehe..a sinopse me ganhou, mas que pena que não funcionou com vc o livro, mas me interessei sim e já anotei para compras futuras.
    Amei a indicação.

    bjs

    ResponderExcluir
  9. Oi Ale!
    Falou em nazismo, eu logo penso na Menina que roubava livros, que é um livro que eu li duas vezes e chorei como uma criança! Gostei da proposta desse livro, quem sabe não me emociona, uma pena que não lhe arrancou lágrimas! Beijos lindona!

    ResponderExcluir