|Resenha| Canção da esperança - Robson Pinheiro

Publicado por 18.11.14

Conheça Franklim, um jovem que viveu e desencarnou com aids. Nos primeiros anos de proliferação do HIV, falava-se em grupo de risco; ainda não haviam surgido os remédios do coquetel, nem sequer as campanhas que estimulam o uso da camisinha. Franklim é do tempo do “Você viu o filho de fulana? Está com aids!” — será que esse tempo já acabou? Era chamado de aidético — termo que até já fez parte do subtítulo desta obra, dada a insistência do autor espiritual. Canção da esperança é resultado da força de quem não se deixou abater, do esforço de um jovem que teve coragem e determinação. É um grito em favor da fé na vida, um testemunho que assegura ser proveitosa a luta contra os obstáculos considerados os mais graves. Direto da imortalidade, uma voz de otimismo genuíno, demonstrado por quem enfrentou a adversidade e venceu. Dê novo valor e significado à palavra esperança.

Mesmo que eu diga que não sou seguidora, adepta, fiel, etc, de religiões, tenho uma paixão nada secreta e especial pelos ensinamentos espíritas e por este motivo me sinto tão a vontade com romances mediúnicos, pois eles não costumam me dizer o que deve ser feito, mas me mostra que para toda ação há uma reação.

Foi com enorme prazer que me dediquei à leitura desta obra, pois até então não havia lido nada relacionado a espíritos que quando encarnados sofreram por causa da AIDS. Iniciei a leitura muito empolgada e com expectativas gigantescas e talvez isso não tenha feito bem ao meu envolvimento com a história.

A forma como o autor descreve a vida e a morte do protagonista, seus sofrimentos e confusões foi muito bem feita, consegui me sentir sensibilizada pela situação em que Franklim se encontrava, até me vi abrindo um sorriso ao ler o início da obra, já que o autor conta como teve contato com o espírito e como este o convenceu a escrever sua história.

É uma escrita simples e rápida, pelo menos eu não vi as horas passarem enquanto lia, porém não consegui manter a empolgação inicial durante toda a leitura, acho que acabei desejando algo mágico e  incrível e acabei esquecendo que eu leria a história de alguém.

Depois de concluir pude respirar fundo e avaliar melhor minha opinião a respeito. Depois que a poeira abaixou pude ver que o livro era bom dentro das limitações que uma história real teria, não seria possível fantasiar e me fazer usar toda imaginação, tão pouco me fazer derramar lágrimas por uma história excessivamente triste.

É uma história agradável, com ensinamentos interessantes e que não se tornou cansativa mesmo que tentasse me mostrar as consequências dos atos dos personagens. Não morri de pena, mas também não pensei "bem feito".


7 comentários

Comentários
7 Comentários
  1. É parece ser legal. Eu também sou do tipo que fico criando expectativas quanto a tudo, principalmente livros, e as vezes acabo me ferrando com isso, mas ainda assim acho que vale a pena, pois quando a atingimos é reconfortante!

    Beijos, INconvencional!

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Eu gosto muito de romance espírita, mas apesar de já ter ouvido falar muito bem de Robson Pinheiro, nunca li nada dele, por falta de oportunidade mesmo.
    Esse parece ser o tipo do livro intenso, por toda a carga emocional que carrega. E acredito que os ensinamentos que traz deve ser algo que nos marca e faz refletir.
    Beijos

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Ale! Te entendi, a gente acaba sempre que algo mais aconteça pq está acostumada a ler sobrenaturais e ficções, sou assim também! Não leio muito livros espiritas, não é muita a minha junto com as biografias, mas adorei a sinceridade da resenha! Parabéns! Beijosssssss

    ResponderExcluir
  4. Sou espírita então essa seria uma leitura bem vinda pra mim. Ainda não conhecia o livro, sua resenha me instigou bastante a anotei o nome aqui para futura leitura. Obrigada pela dica. ^^
    Beijos
    Viviane
    Razão e Resenhas

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Parece ser uma leitura intensa, bjos

    ResponderExcluir
  6. Ola Ale eu adoro livros espíritas sempre carregam mensagens lindas e aprendemos muitos. Adorei a premissa do livro e deve fluir muito bem , ainda não havia lido um livro sobre o ponto de vista de quem teve Aids, já correndo para comprar. beijos lindona
    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  7. Oi linda, tenho uma amiga que adora livros espiritas, por isso vou passar a indicação pra ela.
    Amei a sua resenha, livros que nos passam coisas boas é sempre bom.


    bjs

    ResponderExcluir