[RESENHA DUPLA] Não atravesso a rua sozinho / Te pego na saída - Fabrício Carpinejar

Publicado por 20.3.14


Autor: Fabrício Carpinejar
Coleção Vida em Pedaços apresenta as lembranças de infância de Fabrício Carpinejar. Nas crônicas, os acontecimentos cotidianos ganham de volta a magia perdida com a chegada da vida adulta. Através das memórias do autor, temos acesso às nossas felicidades de criança.

Sempre tive um encantamento pelo Fabrício, apesar de até então não ter lido suas obras, eu já vibrava ao ler algumas de suas crônicas no jornal e me divirto ouvindo seus conselhos amorosos na Rádio Gaúcha. Com suas palavras irreverentes, cortes de cabelo que geravam palavras em sua cabeça, unhas mais bem pintadas que as minhas e sua genialidade expressa através de frases mágicas ele conquistou minha atenção e admiração.

A Editora Edelbra me deu a oportunidade de finalmente conhecer um pouco sobre o mundo do Carpinejar e admito que apesar de já saber algumas coisas a seu respeito, o autor conseguiu me inserir em sua história de tal forma que eu não queria mais sair.

"Te pego na saída" e "Não atravesso a rua sozinho" apresentam de forma singular a infância do autor, através de crônicas excepcionalmente construídas e bem humoradas, acabei me vendo em algumas situações, mesmo que nossas infâncias tenham se passado em épocas diferentes, algumas características seguem vivas nas novas gerações. Desde a relação com os irmãos, passando pela timidez na escola e se mesclando com a imaginação infantil.

Errava o nome do tonificante. De "Emulção de Scott" chamava de "Emoção de Scott". Queria bater no "Scott que se emocionou e obrigava os outros a chorar junto. (Não atravesso a rua sozinho)

Por se tratar de um livro de crônicas, as passagens são rápidas e diretas, mas nem por isso são menos proveitosas. Li cada livro em um dia e tenho certeza que os teria lido mais rápido se não tivesse a universidade para "atrapalhar", ou seja, me envolvi com as obras, me emocionei com a clareza de sentimentos que o autor transmite com suas palavras e me empolguei com a sua capacidade de reconhecer momentos importantes. Ri com algumas passagens, e é claro que eu não imaginava que seria diferente, estamos falando de Fabrício Carpinejar!

Não posso deixar de comentar sobre o trabalho gráfico dos livros. Se eu me apaixonei pelas histórias, me faltam palavras para descrever o maravilhamento por cada traço das ilustrações. Os livros são lindos, em todos os sentidos.

O mundo em que vivo não é o mundo que eu quero, mas o que eu preciso.

9 comentários

Comentários
9 Comentários
  1. Não tinha ouvido falar do autor ainda acredita? Apesar de preferir ficção, fiquei muito interessada nas histórias.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sil, veja essa entrevista que ele deu pro Jô Soares, vai entende um pouco PQ eu particularmente gosto muito dele.

      www.youtube.com/embed/67zaGdMUZsk

      Excluir
  2. Crônicas não são um genero que eu curta muito, mas achei a ediçao dos livros muito lindas. Adorei! Otima resenha Ale :D

    Abraços
    David Andrade
    http://www.olimpicoliterario.com/

    ResponderExcluir
  3. Ai eu não conhecia ainda
    Adoooorei
    Eu quero
    Bjs
    www.satisfashionbrazil.com

    ResponderExcluir
  4. Alessandra eu adoro os texto do Fabrício , sempre mexem com nossas emoções , assim como você adorei essas ilustrações , e como mostra a infância dele com certeza vai emocionar e nos levar a lugares repletos de lembranças dele. anotado a ótima dica. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  5. Oi, Alessandra!
    Eu ainda não li nada do Fabrício, mas assim como você o admirava bastante pelos pequenos escritos que chegavam à minha mão. Crônicas ou frases, não importa, o cara é fera. Eu espero ter a oportunidade de ler suas obras. E vou adicionar essas que você sugeriu… O trabalho gráfico parece fazer valer a pena e, se você garante, imagino que as crônicas sejam ótimas!

    Beijos!
    http://www.myqueenside.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Linda demais a diagramação da editora! Eles capricharam! Sobre a obra: Gostei bastante, mesmo não lendo muitas crônicas, fiquei bem curiosa para conhecer os livros do Fabrício, principalmente depois das sua opinião sobre eles, Alessandra!

    Beijos.

    www.daimaginacaoaescrita.com

    ResponderExcluir
  7. Oi.
    Não curto muito cronicas, mas confesso que sua resenha me deixou bem curiosa aqui.
    Espero um dia ter contato com as obras do Fabricio e gostar como você.

    Beijos
    www.amorliterario.com

    ResponderExcluir
  8. Oi,
    Eu gosto de crônicas. São ótimas, pois conhecemos sempre alguma coisa ou alguém de uma forma bem divertida (ou não) e são leituras leves. dica anotada.
    um abraço

    Antonio Henrique
    www.navioerrante,blogspot.com.br

    ResponderExcluir