[DIVULGAÇÃO] Ghost Rider: A estrada da cura

Publicado por 17.2.14


Um livro aguardado pelos brasileiros há alguns anos finalmente será lançado por aqui e poderá ser encontrado nas livrarias de todo o país em março. Confira um pouco mais sobre a obra escrita pelo baterista da banda Rush, Neil Peart.

Ghost Rider: A Estrada da Cura, livro que se tornou best-seller internacional e um clássico da literatura on the road, lançado originalmente em 2002 mas ainda inédito no Brasil, vai chegar às livrarias do país no dia 7 de março pela editora Belas-Letras

A obra se tornou referência depois de Neil Peart – considerado o melhor baterista do mundo pela revista Rolling Stone – ter sofrido uma dupla tragédia, com a morte da filha única, Selena, em um acidente de carro, e da mulher, Jackie, de câncer, menos de um ano depois.

“Eu certamente não estava mais interessado em tocar bateria ou escrever letras para canções de rock. Antes daquela noite em que o mundo desabou ao meu redor, eu estava trabalhando num livro sobre as minhas aventuras sobre duas rodas com meu amigo Brutus durante a recém-encerrada turnê Test for Echo, e eu não conseguia me imaginar retomando aquele projeto”.

Considerada pela crítica internacional como uma das melhores obras literárias já escritas por figuras do rock, nela o músico – apaixonado por motociclismo – descreve como decidiu pegar a estrada sem destino para rodar com sua BMW R1100GS por mais de 90 mil quilômetros, durante 14 meses, em uma jornada que o ajudou no seu processo de convivência com o luto em meio à solidão da estrada, a riqueza da paisagem e os lugares e personagens que descobriu ao longo dessa trajetória. 

A história de Peart conquistou fãs no mundo inteiro, mesmo os que não eram admiradores da banda de rock. A viagem a bordo de sua moto o ajudou a lidar com a morte da mulher e da filha e a fazê-lo encontrar um novo sentido para continuar vivendo, já que a dupla tragédia também fez com que a banda parasse com as apresentações.

“O resto da bagagem que eu levaria comigo naquela manhã tinha menos volume, mas era mais pesado – eram os fardos invisíveis que me fizeram partir em uma jornada que já se assemelhava a uma espécie de exílio. (...) Eu partia com a minha motocicleta para tentar descobrir que tipo de pessoa eu me tornaria e em que tipo de mundo eu viveria”.

Antes de Ghost Rider: a Estrada da Cura, o músico já havia escrito outro livro, The Masked Rider (O ciclista mascarado), em que narra suas aventuras em duas rodas, mas desta vez de bicicleta, pedalando pela África. A Belas-Letras também já adquiriu os direitos para publicação no Brasil e a obra deve ser lançada em 2015. 

“Eu apenas permanecia em movimento, com medo de parar por tempo demais, com medo de me dar tempo para pensar”.

Leitura essencial para admiradores de Neil Peart e da banda Rush, para motoqueiros e amantes de estrada, e para quem quer descobrir, assim como ele, mais sentidos para continuar vivendo mesmo depois de ter perdido alguém.

“Um pouco antes naquele verão, ao contemplar as ruínas da minha vida, eu tinha decidido que minha missão agora seria proteger certa essência que havia dentro de mim, uma força vital que brotava, um espírito frágil, como se eu envolvesse com as mãos uma vela bruxuleante. Nas cartas, passei a denominar essa chama remanescente de ‘minha alma de bebê’; decidi que, a partir daquele instante, a minha tarefa seria cuidar daquele espírito da melhor forma que eu pudesse”.

2 comentários

Comentários
2 Comentários
  1. Ficou ótimo o post de divulgação. Eu gosto de livros que possuam essa temática, mostrando a superação das pessoas, e o melhor de tudo, não se baseia em ficção e sim em fatos reais (coisa que adoro em qualquer história) - ainda mais depois de ter lido e assistido Milagre nos Andes.
    A história Neil Peart, pode se tornar inspiração para muitas pessoas, que passam por situações parecidas e também para abrir os olhos, e talvez o coração, daqueles que não consegue compreender ou entender, o que leva uma pessoa a criar esses escapes em suas vidas em busca de aceitação. No caso do baterista, simplesmente pegar sua moto e viajar por mais de 90 mil quilômetros.

    Já está em minha lista de livros para este ano!

    Parabéns ótima divulgação!

    ResponderExcluir
  2. Nossa, eu só conheço o cara pela fama de baterista incrível (muito merecida, aliás), não sabia de toda essa história. Parece ser um livro bem interessante.

    Indiquei teu blog para uma TAG (:
    http://sobrelivroseletras.blogspot.com.br/2014/02/tag-o-primeiro-e-o-ultimo.html

    ResponderExcluir