[RESENHA Livro + Filme] Precisamos falar sobre o Kevin

Publicado por 20.8.13

Sinopse: Eva Katchadourian na verdade nunca quis ser mãe - muito menos a mãe de um garoto que matou sete de seus colegas de escola, uma professora queridíssima, e um servente de uma escola dos subúrbios classe A de Nova York. Para falar de Kevin, 16 anos, autor desta chacina, preso em uma casa de correção de menores, a escritora Lionel Shriver arquitetou um thriller psicanalítico onde não se indaga quem matou.

Não lembro ao certo há quanto tempo venho querendo ler este livro, mas a minha espera por uma boa promoção nas livrarias acabou adiando muito a leitura, até que cansei e fui à biblioteca da faculdade para acabar com a tortura. Com os livros em mãos admito que senti medo, não pela capa, sinopse ou comentários, mas por talvez não conseguir dedicar a atenção que o livro merecia, e após concluir a leitura eu vi que estava certa, ele merece toda minha dedicação e tempo.
Precisamos falar sobre o Kevin tem uma narrativa densa, mas isso não torna a história difícil de ser entendida, apenas pede um pouco de atenção do leitor que vai conseguir captar facilmente os sentimentos da mãe do jovem assassino.

Kevin mostrava ser diferente desde seu nascimento e pode-se dizer que ele não teve aquele amor materno exagerado, muito pelo contrário, Eva não era sua grande fã, nem esperava grandes coisas dele, mas não a culpe pelo o que aconteceu naquela quinta-feira terrível, pois ela já faz isso muito bem.
A autora nos apresenta o casal antes e depois do nascimento do bebê Kevin, e são visíveis as mudanças pelas quais Eva se viu obrigada a passar, e isso serviu para que eu não iniciasse uma leitura criticando-a pelo ocorrido.

O que deu em nós? Éramos tão felizes! Então por que motivo retiramos todas as fichas e as pusemos nessa aposta ridícula de ter um filho?

A história que é apresentada ao leitor é feita em forma de cartas da mãe sofredora para o pai que está ausente, e através da escrita de Eva Katchadourian a autora apresenta a vida de Kevin e de sua família. Enquanto com o papai o menino era todo doce, e sínico, com a mamãe ele não usava máscaras.

Você até pode ter enganado o papai, mas a mamãe sabe muito bem qual é a sua.Você é um merdinha, não é?

Se você espera saber detalhes do massacre que ocorreu na escola, saiba que vai demorar um pouco para a mãe se sentir a vontade para falar sobre isso, lembre-se que ela se sente extremamente responsável pelas mortes, mas não desanime, pois quando Eva começa a relatar cada passo de seu filho você ficará sem fôlego.
Quem for muito jovem talvez não goste muito deste livro, pois talvez se canse com o drama familiar, mas saibam que a história de KK (Kevin Katchadourian ou Kevin Katchup) é a realidade de algumas famílias e grupo de amigos. Jovens ou até nem tão jovens, sofrem transtornos e acreditam que o melhor que podem fazer com suas vidas é tirar a dos outros. 

Minutos depois de ter concluído a leitura, decidi assistir ao filme homônimo. Sei que nenhuma adaptação cinematográfica segue ao pé da letra a história do livro, mas neste caso o contexto foi bem abordado, porém não conseguiu transmitir todo o drama que rodeava aquela família, nem mesmo os assassinatos foram tão impactantes quanto no livro.
Senti falta de todas as visitas de Eva ao seu filho preso, pois através das conversas que eles tinham era possível notar a evolução de Kevin, que passa de um adolescente durão e problemático, para um quase adulto confuso. Também poderiam ter aproveitado melhor as alterações na família a partir do nascimento da outra filha do casal e do relacionamento entre os irmãos, isso faria com que o final fosse mais forte e com impacto maior do que realmente foi.






6 comentários

Comentários
6 Comentários
  1. O livro ainda não li acredita? Mas já assistir o filme, é muito bom mesmo!

    Beijos, Lyse.
    http://dallyse.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Nunca li nem assiste o livro.
    Pra falar verdade estou conhecendo agora.
    Nossa mas que capa mais medonha hahahhaha!
    Ótima resenha, fiquei curioso para leitura.

    Abraçossssssss
    www.booksever.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Nunca li nem assisti o livro,mas tenho vontade de ler e ver o filme,parece interessante,amo essa capa!
    Beijos e seguindo...
    http://teenagersblogofficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Já havia visto o livro, mas para falar a verdade, a capa é tão medonha, que nem quis ler a sinopse para saber sobre do que ele se tratava.
    Parece ser algo bem assustador.
    Muito boa a resenha
    Abraços,
    http://samgirl-arts.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Já assisti ao filme e tenho muita vontade de ler o livro! Adorei a resenha!

    beijos
    Débora - Clube das 6

    ResponderExcluir
  6. Muito boa a resenha! Não quero assistir o filme antes de ler o livro, acho que quebra o encanto. Gostei muito dos quotes, bem impactantes.

    http://livraticos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir