Sinopse: Piotr é um menino polonês quando os nazistas invadem seu país e matam seus pais. Seu destino parece traçado: viver num orfanato, sendo depois oferecido para trabalho escravo. Mas seus olhos azuis, seu cabelo loiro e sua pele clara fazem dele um exemplo da raça pura, um modelo para a Juventude Hitlerista. Então, os alemães o entregam a uma família nazista. Só que Piotr, que nunca deixa de se sentir estrangeiro junto a sua nova família, começa a formar seus próprios conceitos sobre o que vê e o que lhe é dito. Ele não quer ser um nazista. E então assume um risco – o mais perigoso que poderia escolher na Berlim de 1942. Vencedor de seis prêmios e finalista de outros dezesseis, este romance de Paul Dowswell parte de uma pesquisa meticulosa para uma narrativa cheia de reviravoltas, trazendo à tona um ângulo diferente dos horrores da Alemanha nazista.
Autor(a): Paul Dowswell | Editora: Planeta | Páginas: 272 | Ano de lançamento: 2016

Piotr é uma das milhares de crianças que se viram órfãos por causa do nazismo, que não tiveram tempo de se despedir de seus pais, que nem ao menos souberam o que realmente havia lhes acontecido. Apesar de ter se tornando um menino sem família de forma tão cruel, o protagonista desta história se mostra maduro e sem sinais de rebeldia, pelo contrário, logo criança ele já sabia que precisaria seguir normas caso desejasse se manter vivo e seguro.
Imagine um mundo sem doenças ou fraquezas. Um mundo sem miséria e infelicidade. É isso que podemos criar agora que os nazistas estão no poder.
Ao serem feitas buscas entre os órfãos com o intuito de encontrar crianças puras, com o intuito de recolocá-las em famílias que lhe ensinariam como ser um bom cidadão alemão, Piotr acabou sendo recrutado, pois seus traços faziam com que ele fosse visto como um ótimo exemplar da espécime.
-Meu nome é Doktor Fisher... tenho algo muito especial a lhes dizer... Vocês, meninos, foram escolhidos como candidatos... à honra de serem recuperados pela comunidade nacional alemã... Serão submetidos a mais exames... para determinar seu valor racial... e se são ou não dignos de tal honra...
Após ser adotado por uma família de respeito, onde o patriarca era largamente conhecido entre os nazistas por seus experimentos médicos, Piotr passa a ser doutrinado de forma a se tornar um exemplo a todos. Sem questionar, o jovem cresce em meio à realidade alemã que acredita em uma raça pura, porém suas origens o marcarão para sempre.

Neste livro o leitor acompanhará a trajetória desta criança, que se tornou um órfão graças a Hitler, mas que caminha para servir o Führer de acordo com o ensinado por sua nova família. Mas não se engane, Piotr é mais esperto que os demais seguidores do nazismo que o cercam, e esta jornada em busca da verdade e da liberdade pode ser mais séria e longa do que aquele menininho poderia imaginar logo que saiu do orfanato. Agora, já mais velho, Piotr caminhará por zonas perigosas, arriscará sua vida em defesa de seus ideais e descobrirá que nem mesmo sua família adotiva o protegerá.
Esterilizem os judeus! Assim o sangue saudável e o imundo não vão mais se misturar.
Os personagens são interessantes, cada qual com suas motivações e anseios, porém não me senti tão próxima do protagonista quanto eu desejava. Sua força de vontade, determinação e inteligência são louváveis, porém não há aquela emoção característica de livros que se passam durante este período.

Esta é uma história bem desenvolvida, com início, meio e fim. O leitor não se verá diante de enigmas ou peças que não se encaixem, mas poderá acompanhar a vida e a realidade das crianças, jovens e adultos daquela época. A crueldade se faz presente, mas de forma um pouco mais sutil, não há descrições fortes, apenas se sabe que coisas ruins são feitas, mas os detalhes mais profundos não são descritos de forma aprofundada.






Sinopse: Ally e Charlotte poderiam ter sido grandes amigas se David nunca tivesse entrado em suas vidas. Mas ele entrou e, depois de ser o primeiro grande amor (e também a primeira grande desilusão) de Ally, casou-se com Charlotte.
Oito anos depois do último encontro, o que Ally menos deseja é rever o ex e sua bela esposa. Porém, o destino tem planos diferentes e, ao longo de uma noite decisiva, as duas mulheres se reencontram na sala de espera de um hospital, temendo pela vida de seus maridos. Diante de incertezas que achavam ter vencido, elas precisarão repensar antigas decisões e superar o passado para salvar aqueles que amam.
Com a delicadeza tão presente em seus livros, Dani Atkins mais uma vez nos traz uma história de emoções à flor da pele, um drama familiar comovente que não deixará nenhum leitor indiferente.
Autor(a): Dani Atkins | Editora: Arqueiro | Páginas: 368 | Ano de lançamento: 2017

Depois de passar por algumas leituras tensas, repletas de assassinatos e intrigas, senti a necessidade de me envolver em uma leitura um pouco mais leve, mas não menos intensa e surpreendente. E acredito que fiz a escolha certa ao optar por ler Nossa música.

Neste livro o leitor será apresentado a dois casais que não possuem nada em comum, exceto o fato da esposa de um ter sido a ex namorada do outro, mas essas coisas são normais na vida real, não é mesmo? Mas então o que há de diferente nesta história? Bom, há quem acredite em coincidências, há quem acredite em destino, mas minha única certeza é de que por mais inacreditável que possa parecer, os caminhos dos casais seguiram a mesma direção.


Joe, marido de Ally é um homem doce, responsável e sempre disposto a ajudar quem quer que seja, porém seu lado altruísta o colocou em uma situação arriscada, onde sua vida seria posta em jogo. Após garantir a segurança de crianças desconhecidas e do cão que haviam se exposto ao risco em um lago parcialmente congelado, Joe será encaminhado à UTI de um hospital, já que acabou se afogando.

David, marido de Charlotte e ex namorado de Ally, não parece ser tão doce quanto Joe, mas nem por isso deixa de transparecer ser uma pessoa legal. Enquanto ele planeja uma surpresa à sua esposa, o inesperado acontece e seu coração lhe prega uma peça e acaba sendo encaminhado para onde? Isso mesmo que você imaginou, para a UTI onde o marido de Ally está.

Ally se verá obrigada a recordar momentos de sua vida que sempre tentou esquecer, seu relacionamento com David foi de o melhor do mundo para o pior pesadelo. Ela reorganizou sua vida, casou com um homem que a ama independente de qualquer circunstância, teve um lindo filho e vive feliz, porém não será fácil ver seu primeiro grande amor prestes a morrer e seu amado marido em uma situação tão complicada que talvez lhe custe a vida.
Eu tinha me apaixonado por David de forma rápida e dramática, como se o chão desmoronasse sob os meus pés, lançando-me em queda livre num abismo. Com Joe, fora muito mais gradual, e eu deslizara centímetro a centímetro em sua direção, de forma tão sutil a princípio que nem mesmo percebera o que vinha acontecendo, até que era tarde demais para interromper a viagem. Não que eu quisesse.
A narrativa transcorre de forma descomplicada, intercalando o tempo atual no hospital com as recordações de Ally e Charlotte, que infelizmente se reencontraram. Ao acompanhar a trajetória de vida das duas, suas conquistas e perdas, o leitor consegue desenvolver uma relação de amizade com elas, que apesar de serem tão distintas, possuem um carisma único.

Não posso dizer como esta história termina, mas posso lhe pedir para que vá até o final. Se em algum momento, por um segundo sequer, você desanimar com a leitura, continue, pois acredito que a conclusão desta trama poderá mexer com suas emoções.


Meus olhos suaram ao final do livro e cada vez que recordo como tudo acabou, me dá um aperto no coração e só consigo pensar "foi melhor assim". Me apeguei aos personagens, suas histórias e seus dramas, queria dar um abraço nos dois casais e no pequeno Jake que se mostrou tão maduro e encantador.





Sinopse: Atormentado por achar que não faz o suficiente para tornar o mundo um lugar melhor, William, um respeitável psicólogo infantil, tem a chance de realizar um estudo que pode ajudar a entender o desenvolvimento da maldade humana. Porém, a proposta feita pelo misterioso David coloca o psicólogo diante de um complexo dilema moral. Para saber se é uma pessoa má por ter presenciado o brutal assassinato dos seus pais quando tinha apenas oito anos, David planeja repetir com outras famílias o mesmo que aconteceu com a dele, dando a William a chance de acompanhar o crescimento das crianças órfãs e descobrir a influência desse trauma na vida delas.
Até onde ele será capaz de ir? É possível justificar o mal quando há a intenção de fazer o bem?
Autor(a): Gustavo Ávila | Editora: Verus | Páginas: 266 | Ano de lançamento: 2017


Este não é um livro qualquer sobre serial killer, esteja preparado para conhecer o lado mais sombrio do ser humano, o lado que escolhe colocar seu desejo acima de tudo e todos, onde a curiosidade ganha espaço e força sobre a vida das pessoas.

O livro inicia em um momento tenso, onde uma família está amarrada em suas respectivas cadeiras. Um pai, uma mãe e um filho de oito anos, todos reféns de uma pessoa que acredita ter o poder de tirar a vida dos outros. Uma cena digna de filme de terror, descrita na medida certa para surpreender o leitor e deixá-lo querendo justiça. Imagine como seria ver seus pais serem mortos na sua frente e saber que você foi poupado, mas que carregará essa lembrança para sempre.
Quem realmente não faz tudo que pode não tem o direito de se sentir frustrado.
Esta é a realidade de algumas crianças neste livro, pois o que começou há décadas com o assassinato de um casal, se repete de forma aleatória e sem explicações. A sinopse do livro já entrega quem é o assassino e o motivo dele cometer tal crueldade, porém não se deixe enganar, a história é muito maior do que é possível prever.

O envolvimento da polícia nesta trama é muito interessante, principalmente quando eles tentam encaixar peças que não se conectam. A jornada em busca por respostas dos detetives não deixa de ser empolgante, por mais que o assassino já tenha sido revelado ao leitor, há muito a ser descoberto e a identidade do serial killer é o menor dos mistérios.
Então eu comecei a me questionar: por que eu me tornei o que sou? Se aquele homem não tivesse matados os meus pais, será que eu seria o que sou hoje mesmo assim? Ou será que eu estaria no seu lugar, sr William?
Admito que fiquei um pouco incomodada com a participação do psicólogo nesta perturbação toda, sua motivação não me parecia concreta o bastante para permitir que o plano fosse adiante. Entendo que a ideia era realmente abalar o leitor e mostrar o lado obscuro que existe em qualquer pessoa, mas fiquei chocada o bastante para começar a supor que isso possa ser real, não apenas com os profissionais desta área, mas das demais que lidam com pessoas.
Sabedoria não tem nada a ver com idade, David. Tem a ver com o que o mundo te dá e o que você com isso.
Sem enrolações, o autor  desenvolveu uma história intensa e bem construída, sem pontas soltas e com personagens marcantes, que complementam perfeitamente a trama, cada qual com sua participação fundamental para o desenrolar dos acontecimentos. É uma leitura que desafia o leitor, o colocando de frente com a crueldade e a ganância, mas que lhe fará refletir sobre seu posicionamento diante de alguns experimentos.


Sinopse: Com sua língua afiada e seu temperamento rebelde, Sage Fowler está longe de ser considerada uma dama — e não dá a mínima para isso. Depois de ser julgada inapta para o casamento, Sage acaba se tornando aprendiz de casamenteira e logo recebe uma tarefa importante: acompanhar a comitiva de jovens damas da nobreza a caminho do Concordium, um evento na capital do reino, onde uniões entre grandes famílias são firmadas. Para formar bons pares, Sage anota em um livro tudo o que consegue descobrir sobre as garotas e seus pretendentes — inclusive os oficiais de alta patente encarregados de proteger o grupo durante essa longa jornada. Conforme a escolta militar percebe uma conspiração se formando, Sage é recrutada por um belo soldado para conseguir informações. Quanto mais descobre em sua espionagem, mais ela se envolve numa teia de disfarces, intrigas e identidades secretas. E, com o destino do reino em jogo, a última coisa que esperava era viver um romance de tirar o fôlego.
Autor(a): Erin Beaty | Editora: Seguinte | Páginas: 440 | Ano de lançamento: 2017

Sage, a jovem protagonista desta história, é uma menina a frente de seu tempo. Enquanto todas as moças sonham com o príncipe encantado e aceitam os casamentos arranjados por uma casamenteira, ela quer subir em árvores, dar aulas e nada de casamento, ela não precisa de um homem ao seu lado para lhe dizer como deve se comportar, tão pouco para servir a ele.

É por causa destas características distintas e marcantes, que Sage acaba mostrando à casamenteira, e aos seus tios, que ela nunca irá casar, afinal não é tão bela quanto as demais e tão pouco aceitaria que alguém decidisse as coisas no lugar dela.


Mas calma, este não é apenas mais um romance de época com a mocinha rebelde e o príncipe garanhão encantado. Nesta trama os acontecimentos caminham para outro lado, o da espionagem. Como Sage não vai casar, ao menos conseguiu um emprego com a casamenteira, já que a sua perspicácia e capacidade de observar tudo ao seu redor seria útil para descobrir os segredos que envolvem os pretendentes das mocinhas.

Espera, ainda parece que estou falando de um romance bobo com meninas apaixonadas? E se eu lhe disser que no meio da organização desses casamentos há alguém traindo a confiança do rei, soldados armando emboscadas, pessoas em perigo e que Sage pode ser a ajudante perfeita para solucionar os problemas de guerra?
Nem todas as batalhas são combatidas o campo, milady. O duque D'Amiran é um homem ambicioso, e as pessoas falam mais na companhia de vinho e belas damas.
O livro foi apresentado como sendo uma união de Jane Austen com espionagem, acredito que ele conseguiu cumprir seu papel, apesar não ter sido tão envolvente quanto eu esperava. Em alguns momentos a leitura começa a ficar um pouco arrastada e lenta, como se não fosse chegar a lugar algum, digo isso especialmente pelo começo, mas aos poucos (e lentamente) a narrativa parece ganhar vida e movimento ao introduzir ação às páginas.
Representamos vários papéis ao longo da vida... isso não significa que todos sejam mentira.
A autora construiu uma trama bem amarrada e que mesmo se tratando do primeiro livro de uma série, possui um fim, encerrando os pontos principais, mas deixando abertura para uma continuação.

Caso você busque uma protagonista determinada, Sage pode ser uma ótima opção, mas tenha em mente que ela poderá ser um pouco azeda em alguns momentos, principalmente ao se mostrar superior às mocinhas doces que sonham com o príncipe encantado. Mas não se engane, por mais dura que ela possa parecer, ainda possui um coração que pode ser preenchido com muito amor.



Sinopse: Você já se sentiu desafiado a fazer algo que, mesmo sabendo que pode se arrepender depois, acaba levando em frente? A heroína deste livro também. Vee cansou de ser só mais uma garota no colégio, e quer deixar os bastidores da vida para assumir seu merecido posto sob os holofotes. E o jogo online Nerve, febre nacional transmitida ao vivo, pode ser o início dessa trajetória de sucesso. Basta que ela clique no botão “Jogador” em vez de “Espectador” para entrar na disputa, que propõe, a cada etapa, um desafio novo.
A adolescente acaba formando uma dupla imbatível com Ian, um garoto desconhecido com quem trava contato ao se inscrever em Nerve. Juntos, vão galgando posições no jogo. Mas, conforme os dois avançam na disputa, os desafios ficam cada vez mais complexos... e perigosos.
Autor(a): Jeanne Ryan | Editora: Planeta | Páginas: 304 | Ano de publicação: 2016


Tenho o costume de não assistir a um filme baseado em um livro se não tiver lido a história antes, porém neste caso foi um pouco difícil fazer isso, afinal, eu não sabia de onde havia surgido a inspiração para o longa. Sim, eu saio vendo o que a Netflix lista sem fazer pesquisas antes. Ah, falei um pouco sobre o filme AQUI.

A comparação é inevitável, porém me envolvi tanto com a escrita da Jeanne Ryan que por vezes acabei esquecendo qualquer relação com o filme. Claro que ao ler determinados trechos e ao ser apresentada a alguns personagens, acabei lembrando detalhes do filme e unindo as experiências.


A base da história é a mesma. O leitor será apresentado à Vee, jovem protagonista que após se decepcionar com alguns amigos e se sentir cansada de sua rotina, acaba se cadastrando em um jogo, NERVE, onde são propostos desafios e recompensas. Neste quesito posso dizer que tanto o filme, quanto o livro, caminham juntos, proporcionando reflexão sobre os riscos que circulam a vida das pessoas que buscam atenção, sucesso e fama, porém em proporções diferentes.

Os desafios propostos pela NERVE variam entre o cômico e o desnecessário, alguns podem colocar os competidores em risco, mas nada tão perigoso ao ponto de deixar o leitor sem fôlego durante a execução das tarefas. 
Pessoas que gostam de vencer sempre vão jogar
A trama em si é bem construída, os personagens se relacionam sem exageros, não existe um romance forçado, nem mesmo aquelas constantes brigas e disputas adolescentes cansativas, porém senti falta de algo mais impactante, algo que me fizesse refletir ao final da leitura. A mensagem que o livro passa é mais superficial que a do filme, é possível compreender o que há por trás da motivação para que os jovens participassem da NERVE, mas não encontrei argumentos para me fazer pensar em como isso poderia ser real. O foco maior está na diversão e não tanto nas consequências.

A leitura correu de forma rápida, em poucas horas, sendo agradável, divertida e descontraída que animou meu final de semana.




Sinopse: Durante a cruel época escravocrata do Brasil Colônia, histórias aterrorizantes baseadas em crenças africanas e portuguesas deram origem a algumas das lendas mais populares de nosso folclore.Com o passar dos séculos, o horror de mitos assustadores foi sendo substituído por versões mais brandas. Em “O Escravo de Capela”, uma de nossas fábulas foi recriada desde a origem. Partindo de registros históricos para reconstruir sua mitologia de forma adulta, o autor criou uma narrativa tenebrosa de vingança com elementos mais reais e perversos. Aqui, o capuz avermelhado, sua marca mais conhecida, é deixado de lado para que o rosto de um escravo-cadáver seja encoberto pelo sudário ensanguentado de sua morte. Uma obra para reencontrar o medo perdido da lenda original e ver ressurgir um mito nacional de forma mais assustadora, em uma trama mórbida repleta de surpresas e reviravoltas.
Autor(a): Marcos DeBrito | Editora: Faro | Páginas: 288 | Ano de publicação: 2017

Neste livro o leitor será apresentado a uma realidade dura e cruel, onde pessoas eram escravizadas e sofriam constantes maus tratos. Esteja preparado para dar de cara com uma narrativa direta, sem floreios e que promete uma atmosfera tensa e forte.

De um lado uma bela casa de uma família branca, um capataz que se diverte ao ver sofrimento e um dono de propriedade disposto a fechar os olhos para a crueldade se isso lhe gerar dinheiro. De outro uma senzala cheia, sem conforto, onde pessoas eram amarradas para não fugir e que sequer eram donas de seus próprios nomes.

Em meio a esta dura realidade surge um escravo novo, que sequer consegue compreender a língua local, sendo castigado constantemente por não obedecer as normas que não conhece. Sabola é um jovem disposto a fugir e fará tudo que estiver ao seu alcance para se tornar um homem livre.


A busca pela liberdade pode parecer linda aos olhos de quem está distante, porém ela é tão sofrida e difícil quanto a aceitação pela condição imposta. O protagonista determinado não desistirá de seus ideais, tão pouco abaixará sua cabeça a quem quer que seja, mesmo que isso represente sua sentença à morte.

Talvez você esteja pensando que acabei de liberar um spoiler, mas acredite, este é apenas o começo de uma história intensa e envolvente, que tem muito a oferecer ao leitor que estiver disposto a abrir seus olhos para tamanha dor e para a vingança que surge com ela. 
As doze badaladas que tocaram no bater da meia-noite soaram como sinos de uma imponente torre gótica mal-assombrada para torturar ainda mais a sanidade arruinada.
A sede por vingança e a promessa de que voltaria para libertar os demais escravos, fazem com que Sabola supere até mesmo a morte e se torne uma lenda que até hoje se comenta, talvez na atualidade a gente pense neste personagem como apenas um menino que apronta, mas nesta releitura ele é muito mais que isso, é um justiceiro que merece toda atenção.

Abra sua mente e veja uma nova história sobre o Saci, esqueça a traquinagem que o Sítio do Pica Pau Amarelo vem apresentando durante anos. Conheça um homem sedento por vingança e que pode ser tão assustador e terrível quanto as pessoas que lhe causaram a morte.





Quem acompanha o blog já deve ter visto a nossa empolgação sempre que ocorre uma nova edição do AnimeXtreme. Para os que ainda não conhecem o evento, é só clicar AQUI e conferir o que rolou nas outras edições que tivemos a oportunidade de ir.

Na última edição, que ocorreu no mês de maio, resolvi levar meu afilhado junto e descobrir a opinião de uma criança sobre um dos meus eventos favoritos da região. 

Gustavo pareceu ter curtido bastante o evento, demorou para decidir o que ia querer comprar nos estandes, afinal, o que não faltaram foram opções divertidas e caprichadas de artigos relacionados ao que ele mais gostava. Rolou até uma amizade com o Pennywise, mas não se preocupem, eu o trouxe de volta para casa sem nenhum balão.



Como nas edições anteriores haviam diversos cosplayers que incorporavam o personagem. Tão bem construídos que despertavam o interesse do público em tirar fotos e interagir. 


FINALMENTE encontrei minha cartinha de Hogwarts.


Depois de tanta diversão e algumas comprinhas (finalmente comprei minha camiseta AVADA KEDAVRA BICTH) voltamos para casa ansiosos pela próxima edição. Se você puder ir, aproveite! A última imagem é para ilustração a alegria das crianças com suas toucas novas!



Informações importantes sobre o próximo AnimeXtreme
Data: 7 e 8 de outubro | Horário: das 11:00 às 20:30 | Local: Centro de Eventos FIERGS - POA/RS | Cronograma: Confira aqui| Alguns youtubers confirmados: Cristian Figueiredo, T3ddy, Júlio Cocielo

Sinopse: Durante as férias escolares de 1958, em Derry, pacata cidadezinha do Maine, Bill, Richie, Stan, Mike, Eddie, Ben e Beverly aprenderam o real sentido da amizade, do amor, da confiança e... do medo. O mais profundo e tenebroso medo. Naquele verão, eles enfrentaram pela primeira vez a Coisa, um ser sobrenatural e maligno que deixou terríveis marcas de sangue em Derry. Quase trinta anos depois, os amigos voltam a se encontrar. Uma nova onda de terror tomou a pequena cidade. Mike Hanlon, o único que permanece em Derry, dá o sinal. Precisam unir forças novamente. A Coisa volta a atacar e eles devem cumprir a promessa selada com sangue que fizeram quando crianças. Só eles têm a chave do enigma. Só eles sabem o que se esconde nas entranhas de Derry. O tempo é curto, mas somente eles podem vencer a Coisa. Em 'It - A Coisa', clássico de Stephen King em nova edição, os amigos irão até o fim, mesmo que isso signifique ultrapassar os próprios limites.
Autor(a): Stephen King | Editora: Suma | Páginas: 1103 | Ano de lançamento: 2014

Alguém aqui nunca ouviu falar em Pennywise? Para os que ainda não o conhecem, e desejo que nunca o vejam pessoalmente, vou descrevê-lo de uma forma simples, personificação do mal.

Podendo ter a imagem de um palhaço ou de qualquer outra figura que lhe cause meno, A COISA está presente em tudo que há de ruim, causando medo, insegurança e morte. Ninguém está a salvo enquanto ele estiver vivo, mas há um problema, como destruir algo que não se sabe o que realmente é? 
O terror, que só terminaria 28 anos depois (se terminasse), começou, até onde sei ou consigo saber, com um barco feito de uma folha de jornal flutuando por uma sarjeta cheia de água da chuva.
Há muitos anos um grupo de crianças buscou respostas e vingança pelas mortes causadas em Derry. Crianças sumiam, outras apareciam mortas sem partes do corpo, o medo se mostrava presente em todo canto e a insegurança tomava conta da pequena cidadezinha.


Se algo de terrível acontecer, se visões passam a assombrar as pessoas e acidentes acontecem de forma trágica, acredite, A COISA está presente de alguma forma. 

O que ele viu então era terrível o bastante para fazer suas piores fantasias da coisa no porão parecerem doces sonhos; o que ele viu destruiu sua sanidade em um golpe de uma garra.
Já adultos, esse grupo precisará se reencontrar para terminar a vingança que começaram há quase trinta anos. E será através deste reencontro, das memórias ocultadas durante todo este tempo, que o leitor poderá realmente conhecer um pouco sobre Pennywise, digo que é um pouco, pois sua existência é mais complexa do que se pode imaginar ao iniciar a leitura.

As mais de mil páginas desta história reservam uma narrativa intensa, pesada, assustadora e por vezes exagerada, onde diversas situações e diálogos cruéis acontecem sem necessidade. Há um parte nesta história, mais próxima ao final (que não contarei qual é) que me deixou incomodado. Mesmo após ver diversos trechos fortes e inúteis para o desenvolvimento da drama, foi apenas ao chegar nas últimas páginas que o exagero me causou incômodo. 


Stephen King segue sendo um bom autor, que se destaca pelas cenas bem descritas e por todo sangue que pode jorrar pelas páginas. Com personagens muito bem construídos e uma trama que promete prender o leitor, a obra traz o que há de mais cruel.

Por este motivo se você é do tipo que não aguenta sequer imaginar crianças morrendo, homossexuais sendo agredidos, mulheres apanhando até quase morrerem, entre outros momentos tensos, talvez deva manter distância de IT: A COISA, mas cuidado, Pennywise pode não querer ficar longe.



Sinopse: Quando o marido de Zoe morre, o mundo dela desaba. Mas e se fosse possível tê-lo de volta?
Numa fatídica manhã, Ed e Zoe têm uma discussão terrível, algo recorrente no seu casamento em crise, e ela acaba se despedindo de forma brusca quando ele sai para o trabalho.
Pouco tempo depois, um ônibus acerta a bicicleta de Ed, matando-o e deixando Zoe arrasada por não ter lhe dito quanto o amava. Se tivessem ficado mais um pouco juntos aquela manhã, ele ainda estaria vivo? Será que poderiam ter reconstruído o amor que os unira?
Após dois meses, Zoe ainda não conseguiu se conformar. De luto, decide cuidar do jardim do marido, quando acaba caindo e desmaiando. Então, algo estranho acontece: ao acordar, ela está em 1993, no dia em que conheceu Ed na faculdade.
Autor(a): Clare Swatman | Editora: Arqueiro | Páginas: 288 | Ano de lançamento: 2017

Zoe é uma mulher apaixonada por seu marido, mas que como em qualquer relacionamento vive alguns conflitos, em meio a estes momentos conturbados, ela sequer se despede direito de Ed antes de ir trabalhar, porém não imaginaria que não o veria mais, pelo menos não com vida. 

Arrependimento toma conta da protagonista, até que ela acorda e percebe que voltou no tempo. Tudo parece estranho, até que nota ter voltado exatamente para o dia em que conheceu Ed. Seria esta uma oportunidade que a vida estava dando para que ela evitasse que seu amado morresse?
Nesses últimos quinze anos, Ed foi sempre meu mundo. Ele era tudo para mim, e a verdade é que a simples ideia de continuar vivendo sem a presença dele é como atravessar um imenso deserto sem nenhum sinal de água.
O leitor acompanhará esta caminhada de Zoe, cada dia ela acorda em um momento diferente da vida dos dois. Alguns dias não serão tão lindos e perfeitos, mas servirão para que ela relembre os erros que os dois cometeram durante os anos.

A proposta é interessante, por mais que pareça fora da realidade, é empolgante ver o esforço que a protagonista faz para ser uma pessoa melhor para Ed e como os sonhos dos dois foram sendo construídos. 

Não posso dizer que me emocionei ao ponto de chorar, até porque em alguns momentos a narrativa ficava mais lenta e sem graça, meio repetitiva, mas o final fez meu coração acelerar e tive que soltar um suspiro.

Se foi um final feliz ou não, você só descobrirá se der uma chance a esta linda e conturbada história de amor. Mas já posso adiantar, que o que pode ser feliz para uns, pode não ser para outros, então esteja preparado para se envolver por uma ficção composta por personagens muito reais, que estão longe de serem perfeitos.








Sinopse: O primeiro grito veio de um trabalhador da ferrovia isolado pela neve, enquanto as presas do monstro dilaceravam sua garganta. No mês seguinte, um grito de êxtase e agonia vem de uma mulher atacada no próprio quarto. Agora,a cada vez que a lua cheia brilha sobre a cidade de Tarker’s Mill, surgem novas cenas de terror inimaginável. Quem será o próximo? Quando a lua cresce no céu, um terror paralisante toma os moradores da cidade. Uivos quase humanos ecoam no vento. E por todo lado as pegadas de um monstro cuja fome nunca é saciada. Um clássico de Stephen King, com as ilustrações originais de Bernie Wrightson.

Autor(a): Stephen King | Editora: Suma | Páginas: 152 | Ano de lançamento: 2017


Aos que estão acostumados com as narrativas intensas e profundas de Stephen King talvez se decepcionem um pouco com esta obra, tão curta, rápida e rasa que poderia facilmente compor um livro de contos.

King apresenta ao leitor um ser que age por impulso e necessidade, que sempre quando surge acaba por matar alguém. Quem nunca ouviu falar em lobisomens e em como eles se transformam com a chegada da lua cheia? Esta transformação e o impacto dela sobre o homem que vira lobo é descrita de forma superficial, porém não menos forte.


As mortes continuam sendo bem descritas. Se são assassinatos que você quer em um livro, então com certeza gostará deste, mas se busca uma história mais complexa que desafie sua imaginação, provavelmente não dará nota máxima à leitura.

Há um mistério, como em todas as obras do autor, neste caso o que se busca descobrir é a origem das mortes, quem está atacando as pessoas e tirando-lhes a vida? Apesar de ser um pouco previsível, a identidade do lobisomem será revelada apenas ao final, mas não se preocupe, a leitura é rápida e logo poderá perceber se estava certo em suas suspeitas.


O livro é dividido por meses, relatando exatamente o dia em que o monstro ressurge em busca de sua próxima vítima. Não há descrição do que acontece entre estes períodos, o que dificulta a criação de vínculo com qualquer um dos personagens, que são apresentados apenas quando estão prestes a serem mortos. 

A nova edição publicada pela Suma conta com ilustrações incríveis, que retratam perfeitamente a obra e seus momentos. Ao final há uma parte extra, onde quatro ilustradores representaram suas cenas preferidas da história.