Quem me conhece sabe que eu adoro itens criativos, diferentes ou até mesmo fofinhos. Essa minha paixão por artigos interessantes me fez conhecer uma loja online repleta de produtos que me deixaram doida para comprar tudo, mas como o momento (minha conta bancária) não permite que eu pague tudo o que desejo, resolvi montar uma lista e contar com a colaboração de vocês.

Olhem a responsabilidade, hein? Abaixo vou listar alguns produtos que eu quero muito e através dos comentários de vocês escolherei 3. 


Ah, para ver a descrição dos produtos no site é só clicar no link abaixo das imagens!


Aparador de livros



Estou reformando o escritório e em breve minha estante estará pronta para receber meus livros, mas para deixá-la organizada e ao mesmo tempo mais bonita ainda, pensei em colocar alguns aparadores de livros. O que acharam deste?

Caneca


Tenho várias paixões. Quem me conhece sabe que sou viciada em artigos de papelaria e a cada caneta nova eu abro um novo sorriso, mas eu não gosto de guardá-las em qualquer lugar, tenho uma mania de só colocá-las em canecas, tenho duas lindas do Super Mário e acho que está na hora de aumentar a "coleção". Como sou fã do universo de Harry Potter fiquei empolgada quando vi esta no site. 


Bloquinho de anotações

Como uma boa viciada em artigos de papelaria, eu não poderia deixar de dar pulinhos de alegria ao ver esse bloquinho lindo demais da Frida. Quem resiste a este item? 



Miniatura Torre Eiffel



Faz um tempo que estou querendo uma miniatura desta torre, até sei em que parte da minha estante de livros eu vou colocá-la, pertinho dos belos romances.



Almofada de pescoço


Confira no site: Porquinho, Corujinha

Encontrei várias almofadas de pescoço, mas não posso comprar todas. Consegui filtrar e escolhi duas, uma com capuz (coruja) e a outra que vira um porquinho lindo. Me ajudam a escolher uma?


Taça com canudo

Sempre tem algum copo com água por perto, às vezes perco a noção do tempo enquanto estou estudando ou lendo e realmente esqueço de ir atrás de água ou comida. Meu copo com canudo é bonito, mas não é de Diva como este! Amei essa taça.



Quadro porta rolhas e tampinhas




Adoro essa ideia de transformar os quadros em um item que a gente possa acrescentar algo pessoal, neste caso seriam com rolhas dos vinhos que a gente mesmo toma, ou com alguma outra recordação, enfim, algo que seja bom ver exposto em uma parede e compreender que ele é único.


Quadro porta objetos

Confira no site: Boas lembranças, TV, Disco

Continuando na ideia de ter um quadro único e especial, encontrei este aqui também na loja e me encantei com ele. Sou do tipo de pessoa que guarda o papelzinho do cinema, uma cartinha antiga, uma flor dentro da agenda, etc. Pensei que ficaria legal na sala ou no escritório.


Quais vocês mais gostaram? Me ajudem a escolher!

Para quem ainda não conhecia a loja, mas assim como eu adora esse tipo de produto, podem também encontrar muita coisa bacana nas redes sociais da lojas. Eu sempre acompanho tudo pela fanpage!

Fanpage: https://www.facebook.com/gorilaclube/
Instagram: https://www.instagram.com/gorilaclube/
Google+: https://plus.google.com/+GorilaclubeBr


Sinopse: Piers Yelverton, o conde de Marchant, vive em um castelo no País de Gales, onde seu temperamento irascível acaba ferindo todos os que cruzam seu caminho. Além disso, segundo as más línguas, o defeito que ele tem na perna o deixou imune aos encantos de qualquer mulher. Mas Linnet não é qualquer mulher. É uma das moças mais adoráveis que já circularam pelos salões de Londres. Seu charme e sua inteligência já fizeram com que até mesmo um príncipe caísse a seus pés. Após ver seu nome envolvido em um escândalo da realeza, ela definitivamente precisa de um marido e, ao conhecer Piers, prevê que ele se apaixonará perdidamente em apenas duas semanas. No entanto, Linnet não faz ideia do perigo que seu coração corre. Afinal, o homem a quem ela o está entregando talvez nunca seja capaz de corresponder a seus sentimentos. Que preço ela estará disposta a pagar para domar o coração frio e selvagem do conde? E Piers, por sua vez, será capaz de abrir mão de suas convicções mais profundas pela mulher mais maravilhosa que já conheceu.
Autor(a): Eloisa James | Editora: Arqueiro | Compre aqui: Livraria Cultura, Submarino, Saraiva

Linnet é uma bela jovem que encanta a todos pelo seu corpo escultural e sua beleza estonteante. Ela tinha tudo para conseguir um bom casamento, mas por um pequeno descuido colocou toda a sua reputação em jogo. O futuro que deveria ser tão lindo quanto ela passou a ser duvidoso, afinal, naquela época um bom casamento era algo importante para uma mulher e se ela não fosse mais bem-vista acabaria por não atrair bons pretendentes.


Falando assim pode parecer que a protagonista fosse fútil ou estivesse imersa em uma realidade em que não poderia sequer opinar, mas apesar de se tratar de um romance de época, a autora conseguiu construir sua personagem de uma forma que esta se mostrava determinada e com opiniões próprias. Ela deveria se casar, este era um fato que não poderia ser mudado, mas ela não aceitaria menos do que realmente merecesse.

Linnet foi designada a se casar com Piers, um médico com o apelido de Fera. Admito que quando soube disso fiquei um pouco decepcionada, imaginando que encontraria algum bonitão grosseiro, mas fui surpreendida por um personagem complexo e com seus próprios traumas.
Piers possui uma personalidade forte, marcante e por vezes irritante. Este personagem me lembrou muito o Dr House, aquele do seriado super famoso que era um gênio, mas ao mesmo tempo era irritante e mal educado. 

O que poderia se tratar de apenas um romance bonito e delicado, onde a Bela facilmente encanta a Fera com sua beleza e inteligência, se mostra como uma história mais concreta, com obstáculos que não serão facilmente dissolvidos.

Não sou fã de romances de época, quem me conhece sabe da minha implicância com histórias de mocinha bela, recatada e do lar, mas Linnet é tão segura e inteligente que não vi motivos para fazer cara feia para ela. E Piers, bom, sou suspeita para falar, afinal ele tem as características de um dos meus personagens preferidos da TV.

Para quem busca uma história com personagens marcantes que não são influenciados pelos desejos dos outros, então Quando a Bela domou a Fera é uma ótima opção de leitura. 


Sinopse: Uma irônica e literária análise da natureza humana, do mesmo autor de Moby Dick
O personagem título é um jovem amanuense judicial que, cansado do trabalho burocrático, decide adotar o “não” como lema e o “nada” como estilo de vida. Publicada originalmente, de forma anônima, numa revista em 1853, Bartleby, o escrivão é uma daquelas obras que deixa os leitores confusos quando chegam ao final: não há uma resposta e sim questionamentos sobre quem seria esse personagem tão peculiar.
A narrativa de Melville, um dos percursores do absurdo na literatura, é tão curta quanto rica e múltipla; leitura para se perder em interpretações.
Autor(a): Herman Melville | Editora: José Olympio | Compre aqui: Submarino,  Fnac, Americanas

Eu poderia agir como o protagonista desta história e simplesmente não fazer esta resenha, afinal, um dos ensinamentos que Bartleby me passou foi exatamente este, não sou obrigada a nada.

Porém, caso eu siga os passos do retraído personagem, vocês talvez não saibam como foi a experiência de conhecê-lo, tão pouco como me senti ao ler as menos de 100 páginas que esta história reserva ao leitor.

Confesso que estava um pouco eufórica para ler tal obra, pois busquei a opinião de outras pessoas pela internet. O textos eram muito bem desenvolvidos e super positivos. Como me preparar para ler algo que a grande maioria julgou ser muito bom?


Tentei, mas não deu muito certo. 

Bartleby é uma pessoa que eu tentei conhecer, mas não consegui. Apesar de ter tentado compreender suas atitudes retraídas e sua negativa em fazer diversas atividades, não consegui. Me sinto meio deslocada por admitir isso, mas insisti a cada página na esperança de encontrar a revelação de algum grande segredo, mas me senti decepcionada conforme o final de aproximava.

A história é simples, sem grandes floreios, movimentações ou surpresas. Apenas o relato do chefe de Bartleby sobre como foi trabalhar com ele, sentindo pena e ao mesmo tempo raiva, tentando, assim como eu, compreender a mente deste homem. Não há muito que eu possa falar sobre Bartleby, o escrivão, não apenas pelas poucas páginas, mas também pela falta de acontecimentos marcantes.


Talvez você esteja mais preparado para esta história do que eu e consiga aceitar melhor a provável motivação pelo personagem ser diferente. Desculpe, caso você seja uma das pessoas que se encantou pelo livro, mas apesar da leitura ter sido rápida me senti um pouco decepcionada.




Sinopse: Primeiro mandamento: matarás.
A humanidade venceu todas as barreiras: fome, doenças, guerras, miséria... Até mesmo a morte. Agora os ceifadores são os únicos que podem pôr fim a uma vida, impedindo que o crescimento populacional vá além do limite e a Terra deixe de comportar a população por toda a eternidade. Citra e Rowan são adolescentes escolhidos como aprendizes de ceifador - papel que nenhum dos dois quer desempenhar. Para receberem o anel e o manto da Ceifa, os adolescentes precisam dominar a arte da coleta, ou seja, precisam aprender a matar. Porém, se falharem em sua missão ou se a cumplicidade no treinamento se tornar algo mais, podem colocar a própria vida em risco.
Autor(a): Neal Shusterman | Editora: Seguinte | Compre aqui: Saraiva, Amazon

Imagine um mundo onde todos os problemas foram resolvidos. Não há mais corrupção, políticos, doenças, pobreza, guerras, morte, etc. Sobraram apenas as coisas boas. A tecnologia avançou de tal forma que se tornou possível cuidar de todos de forma igual, distribuindo o que é necessário à população e evitando que tragédias acontecessem.

Esta é a realidade deste livro. Um mundo perfeito aos olhos de quem está de fora, afinal, você pode até tentar se matar, mas o seu corpo é capaz de reverter o dano causado em poucos dias. Mas se ninguém morre, como é que cabe tanta gente no mundo?

Para dar conta deste pequeno detalhe, há uma organização responsável por coletar os sujeitos imortais através dos ceifadores. Mas calma aí, não são monstros assassinos que saem em busca de vítimas. A Ceifa estabelece regras que devem ser seguidas e os seu ceifadores são pessoas honradas e dotadas de compaixão. Ninguém mata por prazer, apenas coleta vidas por necessidades, ou pelo menos não deveria.

...- Se você não chorar toda noite, não tem a compaixão necessária para ser um ceifador.

Falando assim talvez possa parecer que se trate de uma história triste onde o objetivo é tirar a vida das pessoas, mas não se preocupe, pois em momento algum há um clima pesado e tenso devido aos ceifadores. Há sim disputa de poder, momentos que exigem estratégia, força e compaixão

Muitas coisas acontecem no decorrer da história, situações que deixam o leitor em dúvida se escolheu bem o seu personagem favorito. O mais incrível é que há momentos surpreendentes em diversos capítulos desta trama, ou seja, se você acha que sabe tudo, calma que o autor vai te mostrar que você foi ingênuo.

...onde há poder, sempre há aqueles que descobrem formas de tomá-lo.

Uma história incrível, eletrizante e envolvente. Li este livro em uma tarde, não conseguia abandonar a leitura por um segundo sequer, devido a minha ansiedade por conhecer o que estava por vir, qual era o próximo segredo a ser revelado e qual seria a nova surpresa.

Com certeza O ceifador chegou para conquistar milhares de fãs pelo país. Se você é daqueles que gosta de uma história bem amarrada, onde tudo faz sentido e com personagens marcantes e intensos, então certamente gostará deste livro.

Sinopse: CUIDADO COM OS GNOMOS DE JARDIM! ELES ESTÃO NA LISTA DOS VILÕES MAIS PROCURADOS DA SÉRIE GOOSEBUMPS! ELES SÃO MACABROS, MALIGNOS E ESTÃO À SOLTA, VINDO ATRÁS DE VOCÊ! NÃO HÁ ONDE SE ESCONDER. NENHUM LUGAR É SEGURO...
Jay Gardener é um garoto que não consegue ficar longe de confusões. Por causa disso, ele e sua família tiveram que mudar para outra cidade. Mas sua nova vizinhança é realmente muito assustadora. O velho McClatchy é um cara malvado, o pântano perto da casa do menino é assombrado e todos têm medo de sair à noite. Isso sem falar que há estátuas de gnomos de jardim por todos os lados!
Autor(a): R. L. Stine | Editora: Fundamento | Onde comprar: Loja da editora

Como falar de um livro com menos de 100 páginas, mas que consegue ter uma história muito bem desenvolvida e que deixa o leitor surpreso?


É assim que me sinto em relação a Goosebumps: Os mais procurados - O planeta dos gnomos de jardim. Nesta história conhecemos Jay, um garoto de 12 anos que vive se envolvendo em problemas e descumprindo as regras impostas por seus pais.

Depois de se envolver em uma situação desagradável, Jay acaba fazendo com que sua família seja obrigada a se mudar e deixar tudo para trás. Essa poderia ser a solução para os problemas de todos, mas é apenas o começo de uma jornada repleta de encrencas, surpresas e perigos.

O jovem protagonista se vê em uma cidade repleta de gnomos de jardim, mas imagine uns gnomos feios demais, nada que justifique o motivo de estarem enfeitando as casas da vizinhança, ainda mais por parecer que estes estão sempre observando tudo, como se tivessem vida.

Com uma narrativa rápida, direta e surpreendente, o autor conseguiu desenvolver em poucas páginas uma história interessante que desperta a curiosidade do leitor, afinal, qual o mistério por trás desta cidade estranha repleta de gnomos?

Apesar de se tratar de um livro voltado para o público infanto-juvenil, e eu já ter passado dessa fase há muitos anos, consegui me divertir com esta história bem escrita e que li em poucos minutos por se tratar de algo mais curto. 

Quando eu era mais nova eu gostava de assistir Clube do Terror, uma série com contos de terror rápidos e que me deixavam ansiosa pelos próximos episódios. Ao ler Goosebumps relembrei a sensação boa que eu tinha ao assistir aquela série. 


Sinopse: A filha mais nova de Mackenzie Allen Philip foi raptada durante as férias em família e há evidências de que ela foi brutalmente assassinada e abandonada numa cabana. Quatro anos mais tarde, Mack recebe uma nota suspeita, aparentemente vinda de Deus, convidando-o para voltar àquela cabana para passar o fim de semana. Ignorando alertas de que poderia ser uma cilada, ele segue numa tarde de inverno e volta a cenário de seu pior pesadelo. O que encontra lá muda sua vida para sempre. Num mundo em que religião parece tornar-se irrelevante, "A Cabana" invoca a pergunta: "Se Deus é tão poderoso e tão cheio de amor, por que não faz nada para amenizar a dor e o sofrimento do mundo?" As respostas encontradas por Mack surpreenderão você e, provavelmente, o transformarão tanto quanto ele.
Autor(a): William P. Young | Editora: Arqueiro | Compre aqui: Submarino, Americanas, Saraiva

Antes de começar a falar sobre a minha experiência com A cabana, preciso explicar algumas coisas a meu respeito, afinal, a minha opinião sobre a história sofre influência de quem eu sou e do que eu gosto, certo? 
Não sou religiosa, não acredito na bíblia, pelo menos não na forma como as religiões a interpretam, a vejo como algo que serve como referência para reflexão, não como algo a ser seguido ao pé da letra. 

Pode parecer estranho que uma pessoa tão desapegada de religião resolva falar sobre um livro cuja a base é a busca pela fé, mas acredite, essa história tem muito mais do que apenas uma conversa com Deus ou um ensinamento religioso, mas também proporciona uma reflexão sobre a vida como um todo. 

Agora vamos falar sobre o livro, sei que foi por causa dele que você chegou até aqui.

Mack é tudo o que seu pai não foi. Ama sua família de forma imensurável, anseia por protegê-los e garantir que todos sejam felizes, mas descobrirá da pior forma que não pode cuidar de tudo e que em algum momento a segurança de sua família fugirá de suas capacidades de proteção.


Tudo estava muito perfeito, uns dias de acampamento, crianças se divertindo, novos amizades sendo feitas, até que no último dia, faltando pouco para irem embora aconteceu algo que mudaria a vida de toda a família, principalmente a de Mack. A pequena e doce Missy desapareceu enquanto seu pai ajudava seus irmãos. O medo, a culpa e a tristeza tomaram conta dos pensamentos de Mack. Os dias se passaram e a busca por sua filha não teve bons resultados, a menina não foi encontrada, tão pouco seu sequestrador, o que colocou Mack em algo que este nomeou como Grande Tristeza.

Essa perda abalou a fé do protagonista, o colocou em uma posição amarga e sem esperança, ansiando apenas por vingança e esquecendo que ainda tinha uma família que o amava. Foram dias difíceis, até que poucos anos depois uma carta misteriosa surgiu o convidando para um encontro, assinada apenas por "Papai".
Viver sem ser amado é como cortar as asas de um pássaro e tirar sua capacidade de voar.
A partir de então o autor desta obra começa a envolver o leitor em uma jornada de esperança, aceitação e perdão. Papai, ou Deus, não é apresentado como um homem idoso e barbudo, quebrando a ideia de que este possui apenas uma imagem escolhida pelo próprio homem, há a presença de outros personagens importantes, como por exemplo Jesus.

Ao ler este parágrafo acima, acredito que você conseguiu imaginar o tanto de religiosidade presente neste livro. Sim, tem bastante mesmo. Muitas palavras bonitas, muitas frases que acalentam, muitos personagens que irradiam amor, mas ao mesmo tempo que transportam o leitor para algo fora da beleza do paraíso, mostrando constantemente que precisamos aceitar determinadas situações e que possamos aprender algo com elas. Se restringir a reclamar de tudo não resolve o problema, tão pouco traz paz.

Acredito que cada leitor poderá tirar uma experiência diferente desta história, por isso eu acredito que se você busca uma mensagem de força, este livro lhe trará, independente da sua orientação religiosa.

Esta é a nova edição publicada pela editora Arqueiro. A história é a mesma, mas com alguns adicionais referentes ao filme que será lançado nesta semana. A capa ganhou uma nova cara, algumas páginas mostram imagens de cenas do filme - como na foto acima - e tem uma nota do autor super bacana onde ele fala não apenas de como foi se tornar o autor de um livro de sucesso, mas também de como foi a experiência de vê-lo ser adaptado ao cinema.



Conteúdo extra: Trailer do filme



Sinopse: Duke é um homem simples com uma vida modesta, mas amou alguém de todo o coração e, para ele, isso sempre foi suficiente. Na clínica de repouso em que vive, Duke se dedica a ler poemas para os outros pacientes, mas, para uma senhora que sofre de Alzheimer – e somente para ela –, lê um diário especial à espera de que um milagre aconteça.Nele está escrita a emocionante história de Allie Nelson e Noah Calhoun, dois jovens que descobrem o verdadeiro significado da paixão, mas são separados por uma série de obstáculos e mal-entendidos.
Autor(a): Nicholas Sparks | Editora: Arqueiro | Compre aqui: Saraiva, Submarino 

Diário de uma paixão é uma das histórias de maior sucesso de Nicholas Sparks, um dos meus autores favoritos. Recentemente a editora Arqueiro lançou esta nova edição e eu me encantei pela nova capa, decidi que estava mais do que na hora de reler a história de amor de Allie e Noah.

Os protagonistas deste romance são jovens, com uma longa vida pela frente e um amor que os aproxima. O sentimento entre eles é algo intenso, mas que precisará passar por algumas provações para se mostrar digno de ser eterno.


Não há monumentos dedicados a mim e meu nome em breve será esquecido, mas amei alguém de todo o coração e, para mim, isso sempre foi o suficiente.

O tempo e os pais de Allie acabando causando a separação do casal, a distância entre os dois cresce. O sentimento permanece vivo, mas a esperança de um reencontro não é mais reconhecida, já que nem ao menos conseguiram manter contato por um longo tempo.

Porém o destino parece funcionar a favor do jovem casal e o reencontro acontece, mas calma, isso não é spoiler! Enquanto Allie planeja apenas se despedir, pois casará em breve, Noah decide aproveitar cada momento ao lado de sua grande paixão. O que acontece a seguir e a decisão que Allie tomará você só descobrirá ao ler o livro.

Este livro tem algo que torna a narrativa mais pessoal e encantadora, possivelmente seja o fato de ela ser contada por Duke, um senhor idoso que decide narrar todos os dias os fatos escritos em um diário para uma senhora que mora na mesma casa de repouso e acorda todos os dias agitada e confusa devido ao seu estado de Alzheimer avançado. Independente de qualquer coisa, das dificuldades que Duke encontra, ele sabe que a história de Allie e Noah acalma sua companheira de lar e lhe possibilita momentos de alegria.


Se você não conhece ainda esta história, não assistiu ao filme ou sequer sabe da fama que o autor tem em emocionar os leitores apaixonados por romance, então prepare-se para uma narrativa gostosa de ser lida, rápida, envolvente e capaz de arrancar suspiros. A avaliação final não será com 5 estrelas por um único motivo, este não é um dos livros mais sofridos do Nicholas Sparks, é bonito, mas não me deixa abalada após a leitura.

Com certeza é uma ótima opção para quem busca um romance tranquilo de ser lido, sem grandes perdas, mas que nem por isso deixa de ser emocionante. Apaixone-se como Noah e Allie e tenha a esperança e perseverança de Duke.





Sinopse: Mia, uma professora de arte de 25 anos, é filha do proeminente juiz James Dennett de Chicago. Quando ela resolve passar a noite com o desconhecido Colin Thatcher, após levar mais um bolo do seu namorado, uma sucessão de fatos transformam completamente sua vida. Colin, o homem que conhece num bar, a sequestra e a confina numa isolada cabana, em meio a uma gelada fazenda em Minnesota. Mas, curiosamente, não manda nenhum pedido de resgate à familia da garota. O obstinado detetive Gabe Hoffman é convocado para tocar as investigações sobre o paradeiro de Mia. Encontrá-la vira a sua obsessão e ele não mede esforços para isso.
Autor(a): Mary Kubica | Editora: Planeta  | Compre aqui:  Livraria Cultura, Submarino, Saraiva


Uma história intrigante sobre o desaparecimento de uma garota perfeita, uma professora adorada por todos, generosa e filha de um juiz respeitado. O que poderia ter acontecido com Mia para não ter aparecido mais no trabalho?

Mia é seduzida, enganada e arrastada para uma cabana em um lugar abandonado e solitário, onde precisará conviver com seu sequestrador sem saber o que o futuro lhe reserva. Com poucos recursos, muito frio e um gato, ela se vê presa em uma trama arquitetada para tirar dinheiro de seu pai. Mas algo está errado, pois a família não recebe qualquer tipo de pedido de resgate, o que será que está acontecendo?

O leitor descobrirá aos poucos o que aconteceu com Mia através da narrativa feita por personagens distintos e em tempos diferentes. Em alguns momentos a narração não se mostra cronologicamente linear, intercalando fatos que aconteceram antes, durante e após o desaparecimento da personagem.

A autora permite que conheçamos a visão da mãe amorosa, do detetive determinado e do sequestrador. Então se você está cansado de ver a história contada a partir do ponto de vista da vítima, saiba que neste livro encontrará algo mais profundo e completo, com fatos importantes contados por pessoas diferentes, mas envolvidas com o caso.


Nos dias que antecederam o Dia de Ação de Graças, uma mulher coloca seu bebê de três semanas no micro-ondas e outra abre a garganta do filho de 3 anos. Não é justo. Por que essas mulheres ingratas foram abençoadas com filhos quando a minha foi tirada de mim? Será que fui uma mãe tão ruim?

Todos os momentos são ricamente descritos e bem encaixados, cada novo capítulo preenche uma lacuna ou abre espaço para que a imaginação do leitor comece a traçar hipóteses ou se perca totalmente nos planos. Em alguns momentos a narrativa até parece lenta e cansativa, mas não desista, pois para tudo há um motivo, acredite, o final compensa todo e qualquer momento de lentidão.

Este livro me surpreendeu muito, normalmente sou mestre em desvendar mistérios, mas esta história me pegou totalmente de surpresa e me envolveu em sua narrativa tensa e enigmática. Hoje, alguns dias após ter lido o livro, ainda me pego pensando no final, naquela última página reveladora.

Sem dúvida alguma A garota perfeita entrou para a minha lista de preferidos do ano. Se lá em dezembro eu fizer retrospectiva no blog, com certeza este livro entrará para a lista dos top 10.



Sinopse: Casey Marshall tem tudo na vida: é linda, rica, tem amigas maravilhosas e um marido amoroso. Para completar sua felicidade, ela e seu marido, Warren, pretendem começar uma família. Mas, quando tudo parecia perfeito, o inesperado acontece: um carro em alta velocidade atropela Casey, que fica em coma. Completamente incapacitada em uma cama de hospital, a consciência de Casey retorna aos poucos e ela se torna testemunha silenciosa do que acontece ao seu redor.
Autor(a): Joy Field | Editora: Onyria - Fundamento | Compre aqui: Loja da editora


Casey, a protagonista desta história, é a herdeira de uma grande fortuna, o suficiente para nunca passar por dificuldades financeiras. Filha de pais que sempre foram ausentes e irmã mais velha de uma jovem que demonstra a todo o tempo os efeitos que a negligência dos pais podem causar em alguém. Apesar dos problemas familiares, ela é uma mulher independente, feliz, com ótimas amizades e um marido maravilhoso.

Apesar de ter uma vida agradável, rodeada por pessoas que a amam e com sonhos para um futuro não tão distante, nem tudo são flores, principalmente após ser atropelada por um carro em alta velocidade. Esta é a realidade atual de Casey, mesmo que tenha sido um milagre não ter morrido na hora do acidente, ela ainda precisará lutar todos os dias para sobreviver e sair do coma.

Esta poderia ser apenas mais uma história dramática sobre uma mulher que sofre e que está a beira da morte, mas há um detalhe muito importante: ela pode ouvir tudo ao seu redor. Isso mesmo, elas está em coma, imóvel, sem poder falar ou enxergar, mas consegue ouvir. 

Entre uma e outra visita ela acaba ouvindo que talvez seu atropelamento tenha sido intencional, mas quem poderia querer matar a tão doce e amada Casey?

Surpreenda-se junto com a protagonista nesta busca pela descoberta, teste sua imaginação e veja se descobre antes da polícia se foi uma tentativa de assassinato realmente e quem seria o principal suspeito.

A narrativa é muito fluida e não notei o tempo passar, pelos meus cálculos li a história em poucas horas numa tarde de domingo. Não consegui parar de ler antes de descobrir se minhas suspeitas se confirmariam.

Permita-se conhecer a vida perfeita e complicada de Casey, abra-se para ser envolvido por uma história bem construída e repleta de personagens carismáticos e interessantes.